18°/ 33°
Belo Horizonte,
17/SET/2014
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Jovem baleado pela PM em protesto sai do coma

Agência Estado

Publicação: 27/01/2014 11:07 Atualização: 27/01/2014 18:07

São Paulo, 27 - O jovem Fabrício Proteus Nunes Fonseca Mendonça Chaves, de 22 anos, que foi baleado pela Polícia Militar durante o protesto contra a Copa, saiu do coma induzido na manhã desta segunda-feira, 27. O estado dele segue grave, embora estável, informou a Santa Casa, onde ele está internado.

Fabrício continua na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e respira com a ajuda de aparelhos. Os médicos estão mantendo o rapaz sedado.

No sábado, 25, o rapaz foi baleado no tórax e na região genital por dois policiais militares na rua Sabará, em Higienópolis, na região central de São Paulo. De acordo com a PM, os policiais pediram para revistar a mochila de Fabrício, que tentou fugir. Quando era perseguido, teria sacado um estilete e acabou baleado.

Ele passou por operação na Santa Casa. O hospital informou que foi preciso remover um testículo da vítima por causa dos ferimentos.

Testemunhas afirmam que Fabrício não reagiu. "Eram três policiais descendo a rua correndo atrás do menino. Depois do terceiro tiro, o rapaz saiu cambaleando e um policial deu um empurrão nele em cima da árvore", disse um morador da região que não quis se identificar.

Na manhã desta segunda-feira, 27, o comandante-geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo, Coronel Benedito Roberto Moura, disse em entrevista à Rádio Estadão que os disparos da polícia foram legítimos. Ele conta que imagens de câmeras de segurança confirmam a versão da PM.
Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.