16°/ 30°
Belo Horizonte,
24/OUT/2014
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Polícia Civil prende cerca de 30 pessoas na Cracolândia Diretora do Departamento de Investigação e Repressão contra o Narcotráfico defendeu a ação

Agência Brasil

Publicação: 24/01/2014 07:51 Atualização:

Em uma ação isolada, a Polícia Civil de São Paulo deteve cerca de 30 pessoas nessa quinta-feira na região conhecida como Cracolândia no centro da capital paulista. Desses, quatro são acusados de tráfico de drogas. Os demais foram detidos “para averiguação”, segundo a diretora do Departamento de Investigação e Repressão contra o Narcotráfico (Denarc), Elaine Biasoli, que determinou a ação dos policiais.

De acordo com Elaine, a investida da polícia não foi comunicada à prefeitura – que faz um programa que acolhe dependentes químicos na região – e nem à Polícia Militar – que tem um posto policial na área – por se tratar de uma “ação penal pública incondicional”. Ela também disse que não conversou com o secretário de Segurança Pública do estado, Fernando Grella.

“É uma ação penal pública incondicional. Onde tem tráfico, às vezes, não dá tempo de avisar ninguém. Então não é uma operação orquestrada, é uma ação de área do Denarc. E vai continuar [acontecendo], onde tiver tráfico o Denarc vai. Foi uma ação dentro da legalidade”, disse Elaine, que não soube informar a quantidade de droga apreendida. Ela não soube precisar, também, o número exato de presos e detidos. Disse apenas, que foi "cerca de 30".

Segundo a diretora, os policiais, com viatura descaracterizada e à paisana, foram à Cracolândia para prender um traficante. No entanto, foram recebidos com agressão. “Os policiais foram recebidos a pauladas, quebraram a viatura, feriram o policial, e aí foi pedido reforço. E nós mandamos o reforço para poder concretizar a prisão”, disse.

O reforço teve oito viaturas da Polícia Civil e 24 policiais. Eles portavam armamentos antimotim, como bombas de efeito moral, e não tinham munição letal. Quando chegaram, efetuaram as prisões e as detenções.

A diretora disse que o procedimento adotado hoje é corriqueiro e não será revisto. Ela informou que que já prendeu 65 suspeitos de tráfico de drogas na Cracolândia em ações similares. “O programa da prefeitura eu não conheço a fundo, deve ser mais social. O meu problema é policial”, disse.

Alana Novais compareceu à delegacia à procura do marido, José Américo Gomes de Novais, um dos detidos na ação. Segundo ela, Américo estava na Cracolândia fazendo compras e foi preso porque filmou a ação da polícia. “Ele começou a filmar a polícia batendo em 'nóia' [viciado em crack] e foi detido”, disse. A prisão, segundo ela, ocorreu no Largo Coração de Jesus.
Tags:

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: José Neto
A instituição polícia civil não deve satisfações para seus atos legalmente executados. A prefeitura se diz aviltada porque não é formada por técnicos de segurança pública, mas por POLÍTICOS que querem votos. A PC fez seu papel: Investigar e prender, função legal típica de polícia repressiva do crime. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.