Bônus anunciado por Alckmin desagradada policiais de SP

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 22/01/2014 09:19 / atualizado em 22/01/2014 09:33

Agência Estado

O plano de bônus e metas anunciado pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) para tentar reduzir a criminalidade em São Paulo desagradou tanto aos policiais civis quanto aos militares. Eles afirmam que a proposta causa descontentamento por criar distinções salariais e agrava a rivalidade entre as polícias.

“É mais um ‘besteirol’ palaciano, um desestímulo à categoria”, afirma o coronel Salvador Pettinato Neto, presidente da Associação dos Oficiais da PM. “A solução seria aumentar o salário dos policiais militares, pois o projeto vai beneficiar alguns, mas outros ficarão sem benefícios”, diz Antônio Carlos do Amaral Duca, vice-presidente da Associação de Cabos e Soldados da PM.

O projeto prevê bônus de R$ 2 mil por policial caso metas trimestrais e regionais para reduzir o número de roubos, furtos e roubos de veículos e latrocínios e homicídios dolosos sejam atingidas. “O governo deveria investir mais em inteligência e no aparelhamento da polícia. Vamos lutar na Assembleia Legislativa contra a aprovação deste projeto”, disse João Rebouças, presidente do Sindicato dos Investigadores e Escrivães.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública afirma que o plano é uma “política de valorização do mérito” que tem como “objetivo integrar as polícias no combate à criminalidade” e que costuma dar resultado onde é implementado. Informou ainda que deu reajustes de 36,59% nos últimos três anos, reduziu o tempo de promoções, contratou mais de 10 mil policiais e investirá R$ 17 bilhões em 2014.
Tags: