Manifestantes fazem ato contra a morte de adolescente em São Paulo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 17/01/2014 21:37 / atualizado em 17/01/2014 21:39

Agência Estado

São Paulo, 17 - Cerca de 300 pessoas se reuniram nesta sexta-feira, 17, no Largo do Arouche, no centro de São Paulo, para protestar contra a morte de Kaique Augusto Batista dos Santos, de 17 anos. O adolescente foi encontrado morto pela Polícia Militar, no sábado, 11, próximo a um viaduto na região da Bela Vista, na Avenida 9 de Julho. A ocorrência foi registrada inicialmente como suicídio.

Por volta das 20h, os manifestantes saíram do Largo do Arouche e bloquearam a Avenida Vieira de Carvalho, no sentido da Praça João Mendes, aos gritos de "Kaique, eu vou lutar. A sua morte o estado vai pagar!". O protesto seguiu para a Avenida São Luís. As pessoas sentaram no chão, bloqueando a via. Por volta das 21h, os manifestantes passaram pelo Viaduto do Chá. O ato deveria acabar em frente à Secretaria de Segurança Pública, onde o protesto cobraria uma investigação justa para a morte de Kaique.

"Nós não temos dúvidas de que Kaíque foi espancado. Se o ato foi homofóbico ou não, somente a polícia vai dizer. Nossa intenção nesse protesto é a cobrança por uma investigação justa. Por enquanto não estamos confiantes no trabalho da polícia", diz Elvis Justino de Souza, amigo de Kaique.

A família alega que não se trata de suicídio, já que a vítima teria uma perfuração na perna com uma barra de ferro e vários machucados que indicariam tortura. O cadáver foi levado ao Instituto Médico-Legal como indigente, até ser encontrado pelos familiares. Cerca de 50 policiais acompanharam o ato. Havia faixas e cartazes por toda parte, e muito barulho por conta de apitos.
Tags:
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.