Polícia Civil não descarta participação de PMs em mortes em Campinas

Assassinatos começaram horas após um militar de folga levar um tiro na cabeça durante uma tentativa de assalto

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 13/01/2014 17:49 / atualizado em 13/01/2014 20:01

Agência Estado

ELCIO ALVES/AAN/ESTADAO CONTEUDO

A Polícia Civil investiga o envolvimento de policiais militares nos assassinatos em série de 12 pessoas ocorridos em um prazo de cinco horas, entre a noite de domingo e a madrugada desta segunda-feira, 13, em bairros de uma mesma região da periferia de Campinas. As mortes, todas com características de execução, aconteceram horas depois de um policial militar de folga ser morto com um tiro na cabeça em uma tentativa de assalto próximo do local dos crimes, no bairro Ouro Verde.

"Não descartamos execução, vingança nem conflito entre criminosos", afirmou o delegado Licurgo Nunes Costa, do Departamento de Polícia Judiciária do Interior de Campinas (Deinter-2). "É uma sequência de fatos, em uma mesma região, com ocorrências próximas de horários, que temos que considerar a relação."

Metade dos mortos tinha passagem pela polícia. Entre as vítimas há um adolescente de 17 anos e um não foi identificado. Os demais têm entre 20 e 30 anos. Alguns respondiam por crimes como homicídio, roubo tráfico de drogas e receptação.

Reação

Pela manhã, enquanto a região foi tomada por viaturas da polícia e imprensa, o terminal de transporte urbano do bairro Vida Nova foi invadido por pelo menos 15 pessoas. Três ônibus foram incendiados e sete apedrejados. A cabine do terminal e um carro que estava no local também foram incendiados.

A Polícia Militar enviou a tropa de choque ao local, que acabou prendendo duas pessoas que jogavam bombas contra os policiais.
Tags: