Acusada de pichar estátua de Drummond é investigada por homicídio, diz polícia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 08/01/2014 18:04 / atualizado em 08/01/2014 18:49

Agência Estado

Polícia Civil/Divulgação
A Polícia Civil do Rio identificou a mulher acusada de acompanhar o empresário mineiro Pablo Lucas Faria enquanto ele pichava a estátua de Carlos Drummond de Andrade, em Copacabana (Zona Sul do Rio), na madrugada de 25 de dezembro. Trata-se de July Bernardes Vasconcellos Reis, de 29 anos, conhecida como Mel ou Ágata, que aparece ao lado de Farias nas imagens de câmeras de segurança.

Ela ainda não foi localizada, mas, segundo a polícia, é investigada em inquéritos policiais da 24ª DP (Piedade) e da 30ª DP (Marechal Hermes) por homicídio, tentativa de homicídio e lesão corporal.

Mineiro de Uberaba, no Triângulo, Pablo se apresentou à polícia na última segunda-feira e afirmou que havia conhecido Mel pela internet, dias antes, e não tinha nenhum contato com ela. No entanto, vizinhos do rapaz afirmaram a policiais da 13ª DP (Ipanema) que a mulher morava com ele e se apresentava como namorada do comerciante.

Familiares de July disseram à polícia que não têm contato com ela há anos, mas que a reconheceram quando viram as imagens da pichação na TV. Policiais estão à procura de July em locais que ela costuma frequentar, no Rio.
Tags: