Lanchas batem e deixam oito pessoas feridas no Lago Paranoá, em Brasília

As vítimas foram socorridas para o hospital e já receberam alta neste domingo. Em uma das embarcações foram encontradas latas de cerveja e uma garrafa de whisky

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 05/01/2014 18:42

Correio Braziliense

@Lysa_Fla/Twitter

Duas lanchas colidiram frontalmente no Lago Paranoá, por volta das 21h30 de sábado (04/01), próximo do Cota Mil Iate Clube. As oito pessoas que estavam nas duas embarcações foram encaminhadas ao Hospital de Base, algumas em estado grave, com traumatismo craniano. Todas receberam alta neste domingo.

Segundo informações de pessoas que estavam próximo ao local, uma lancha teria passado em alta velocidade pelo Pontão do Lago Sul. Logo em seguida, um grande estrondo teria sido ouvido. O proprietário de uma empresa de serviços náuticos José Carlos Andrade, de 51 anos, chegou ao local instantes após o acidente. Ela já tinha recebido a denúncia de que uma lancha estaria fazendo manobras perigosas.  "Fui acionado por uma pessoa que estava preocupada com uma lancha que estava realizando manobras em alta velocidade. Eu deveria tentar identificá-la. Quando chegamos lá, ouvimos os gritos e vimos muitos passageiros ensanguentados. Como havia um risco de naufrágio, paramos a contrabordo e conduzimos a lancha até o cais do Coco Bambu", explicou.

A dona de casa Laurene Neno, de 45 anos, estava na margem do lago e confirmou que uma das embarcações, uma Cigarrete 360, estava em alta velocidade. “Vimos essa lancha (Cigarrete 360) saindo muito rápida do Pontão. Foi um barulho, um estrondo de alumínio tremendo”, relatou.

Um helicóptero e ambulâncias do Corpo de Bombeiros foram mobilizados para o local, assim como equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).Os militares e os médicos socorreram as vítimas e as encaminharam para o hospital.

Em um das embarcações foi encontrada uma garrafa de whisky e em outra várias latas de cerveja.

Tags: