Homem alega que acertou Mega Sena, mas foi roubado

Câmeras da casa lotérica registraram homem indo ao local pela manhã para perguntar se o bilhete premiado havia sido feito lá

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 03/01/2014 07:33 / atualizado em 03/01/2014 07:40

Agência Estado

Um suposto acertador de Curitiba dos seis números da Mega-Sena da Virada registrou ontem o furto do bilhete premiado em boletim de ocorrência na capital paranaense. Aníbal Fayez Marraui alegou que a aposta teria desaparecido de dentro de seu carro um lava a jato da cidade. No registro, ele diz que viajou no dia 24 e deixou o carro com a irmã, que levou o automóvel para lavar. Quando voltou, teria constatado o desaparecimento do bilhete premiado.

A Caixa Econômica Federal, contudo, afirmou que uma pessoa com o bilhete premiado já retirou os mais de R$ 56 milhões do prêmio. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa, que não divulga o nome do sortudo nem a agência onde o prêmio foi retirado. Com o aparecimento do ganhador, Aníbal pode responder, segundo a Polícia Civil, por falsa denúncia de crime, caso não consiga comprovar que era dono do bilhete premiado. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil de Curitiba.

Também no Paraná, a pequena cidade de Palotina, no Oeste do estado, amanheceu com 10 novos moradores milionários. De acordo com o dono das duas lotéricas da cidade, Julio Cesar Spessatto, a aposta foi feita por um grupo de amigos. “Foi uma alegria imensa. É sempre bom estar começando o ano e premiar a população com esse prêmio”, disse. Segundo ele, os sorteados são agricultores e comerciantes locais.

EXCLUÍDO Os outros dois bilhetes premiados da Mega da Virada, que sorteou R$ 224,6 milhões, são de Maceió (AL) e Teofilândia (BA). Nesta última, o funcionário de um hospital onde foi realizado o bolão que resultou numa das apostas vencedoras viajou e deixou de participar do rateio com outros 22 colegas. Ele trabalha no Hospital Municipal Waldemar Ferreira, e seu nome sempre era um dos primeiros das listas de bolão. Desta vez, como o pagamento da aposta foi adiantado pelo organizador, um motorista de ambulância, ele ficou de fora, pois estava viajando. Cada um de seus colegas receberá cerca de R$ 2,5 milhões com o rateio da aposta. Como muitos estão de férias ou viajando, o hospital ainda não recebeu pedidos de demissão, segundo o funcionário que ficou de fora do bolão.