19°/ 29°
Belo Horizonte,
20/ABR/2014
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Padrasto de Joaquim é indiciado pela morte do menino

Agência Estado

Publicação: 19/12/2013 19:00 Atualização:

O consultor de negócios Guilherme Raymo Longo, de 28 anos, agora é, oficialmente, considerado pela Polícia Civil de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, como o responsável pela morte do menino Joaquim Ponte Marques. Longo foi ouvido nesta quinta-feira, na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e de lá saiu indiciado por homicídio triplamente qualificado.

Já a mãe de Joaquim, a psicóloga Natália Mingoni Ponte, de 29 anos, foi inocentada de qualquer participação na morte e sumiço do filho. Joaquim, que morreu aos 3 anos, desapareceu de sua casa em Ribeirão Preto em 5 de novembro e o corpo foi localizado no Rio Pardo, em Barretos, na região norte do Estado, cinco dias depois.

A Polícia Civil trabalhava com a hipótese de que o menino, que fazia tratamento contra diabetes, tivesse sido morto com uma dose exagerada de insulina. A falta de provas tem sido a maior dificuldade para elucidar a morte dele. Exames realizados no corpo de Joaquim não detectaram excesso de insulina, mas policiais alegam que isso era esperado porque o hormônio desaparece pouco tempo após ser aplicado.
Tags:

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: JOSÉ SILVA SOBRINHO
É como sempre acontece quando há homem e mulher envolvidos em um crime: a bomba sempre arrebenta para ele, embora não haja provas cabais de que o padastro seja o assassino. Nesses casos nossas leis são verdadeiras "mães" para elas. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.