17°/ 29°
Belo Horizonte,
18/ABR/2014
  • (5) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Padre é condenado a 9 anos de prisão por molestar criança O crime teria ocorrido após a confissão da menina, durante o ritual de primeira eucaristia. Desde julho, o homem está detido em regime preventivo.

Agência Estado

Publicação: 12/12/2013 18:45 Atualização: 12/12/2013 19:15

A defesa do sacerdote afirma que o padre só está preso por causa da profissão (Reprodução/Diocese de Catanduva)
A defesa do sacerdote afirma que o padre só está preso por causa da profissão
O padre Osvaldo Donizeti da Silva, de Sales (SP), a 458 quilômetros de São Paulo, foi condenado a cumprir 9 anos e 4 meses de prisão, em regime fechado, por molestar uma criança de 11 anos durante ritual de primeira eucaristia, na Igreja São Benedito, onde era responsável e a menina atuava como coroinha. A decisão é do juiz Renato Soares de Melo Filho, da Comarca de Urupês (SP), onde o caso foi julgado. Melo Filho também rejeitou que padre Osvaldo responda pelo crime em liberdade. Ele está detido em prisão preventiva decretada por Melo Filho em julho. A defesa anunciou que recorrerá e contesta a versão apresentada pela Justiça.

De acordo com os autos, em 1º de maio, a menina foi retida numa sala por padre Osvaldo, quando ficou a sós com ele no ritual da eucaristia. Após a confissão, padre Osvaldo a teria abraçado, segurado nas nádegas e beijado a boca da menina. Depois de tirar a estola religiosa, ainda teria pedido para que a menina o acariciasse nas partes íntimas e, em seguida, sentasse no colo. Mas uma das amigas dela, que a esperava do lado de fora, abriu a porta da sala. A menina, então, valeu-se de um susto do padre para fugir. Segundo o juiz, a criança ainda teve de mentir, dizendo que o pai estava do lado de fora da sala, para se livrar das investidas de padre Osvaldo.

A defesa do sacerdote discorda dos autos e diz que ele, que é réu primário e tem bons antecedentes, só está preso por causa da profissão. Conforme o advogado Ribamar de Souza Batista, o padre foi mal interpretado no carinho demonstrado para a menina. "Não houve nenhuma carícia que pudesse ser um ato libidinoso. É uma injustiça que cometem com meu cliente só por ser padre", afirmou.

Na análise de Batista, a prisão preventiva do padre - que teve de comparecer com pés e mãos algemados em audiência - também é injusta. "Meu cliente tem bons antecedentes e estava afastado das funções desde a divulgação do caso, não havia motivo nenhum para ser preso preventivamente", disse. Ele também contesta a restrição imposta ao presbítero de não recorrer em liberdade. "Como ele pode ser um risco a alguém se ele nunca cometeu crime algum, se é primário?", questiona. Por isso, na avaliação de Batista, além da apelação, a defesa entrará no Tribunal de Justiça (TJ) com pedido habeas corpus requerendo que padre Osvaldo responda em liberdade.
Tags:

Esta matéria tem: (5) comentários

Autor: sebastião costa
Meus pais, me ensinaram, que quando a gente erra, deve-se dizer que errou, corrigir o erro se possível, pedir perdão e mudar de vida. Padre que é PADRE, confessa o pecado ao povo, como madou Jesus. | Denuncie |

Autor: luiz carlos
Eu por mim acabaria com todas a igrejas e inclusive esta coisa de deus. Mas,falando de justiça, ja vi e li caso e pessoas que praticaram pedofilia.Não tiveram suas fotos exposta e nem profissão. Então a chamada Justiça esta agindo motivada por perseguição religiosa, isso eu sou contra. | Denuncie |

Autor: Ricardo Silva
os advogados, gananciosos por dinheiro e holofotes deveriam deixar suas filhas confessar com este tipo de padre. Assim, saberiam aplicar a lei, pois somente o fazem quando é conveniente. | Denuncie |

Autor: Teo Fernandes
Quem visitar um seminária verá que quase todos tem o que eu chamo de "disfunção sexual". Escollhem ser padres para ocultar isso, pois não podem envolver com mulheres. | Denuncie |

Autor: geraldo silveira
Ôh profissão disgraçada, defender bandido da pior espécie!!! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.