19°/ 29°
Belo Horizonte,
20/ABR/2014
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Fórum internacional discute no Rio atendimento a usuários de drogas

Agência Brasil

Publicação: 05/12/2013 20:37 Atualização:

O Fórum Internacional sobre as Drogas foi iniciado hoje, na sede da ONG Viva Rio, no bairro da Glória, zona sul da cidade, com o objetivo de debater, entre outros temas, as diferenças de tratamento e formas de reduzir o consumo. O seminário, que vai até o próximo sábado dia, é uma iniciativa da Comissão Brasileira sobre Drogas e Democracia (CBDD), do próprio Viva Rio e da Open Society Foundations, com o apoio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social.

Com o nome de As Ruas e as Drogas: Competência e Inovações, o fórum debate experiências bem-sucedidas sobre o cuidado e atendimento ao usuário de crack e outras drogas no Brasil e no exterior, além de novas abordagens para a saúde e assistência social. Segundo o diretor executivo do Viva Rio e secretário executivo da CBDD, Rubem César Fernandes, o objetivo do encontro é trocar experiências positivas.

"Ninguém tem a solução mágica, é um problema difícil, sobretudo o crack, que é um desafio muito grande, mas eu acho que, no Rio de Janeiro, a gente já saiu do impacto. Já existem experiências positivas ocorrendo, como em outros lugares do Brasil, então o debate é nesse sentido, de aprender uns com os outros para criar uma rede de relacionamentos de longo prazo, em que a gente pode estar se revendo, acompanhando os projetos feitos em cada cidade para evoluirmos", explicou.

A utilização da maconha para fins terapêuticos e as consequências das mudanças nas políticas de drogas internacionais também serão abordadas durante o fórum sobre drogas. Alguns países já adotaram novas estratégias de regulação da produção, venda e consumo de drogas. Para Rubem, esse movimento é crescente em vários países. Ainda de acordo com ele, está na hora de o Brasil ter coragem de inovar em relações ao tema.

"Deve haver um tipo de estratégia em que as pessoas dialogam com os dependentes de uma maneira razoável, ajudando a reduzir a sua dependência. Esse tipo de estratégia já é praticado em muitos lugares do mundo e no Brasil foi muito bem-sucedido em relação à Aids. Foi o melhor país que trabalhou o tema da redução de danos da Aids e está na hora de a gente ter coragem de novo, de inovar em relação às drogas", ressaltou.
Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.