19°/ 29°
Belo Horizonte,
19/ABR/2014
  • (7) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Programa de luxo em Brasília custava até R$ 10 mil para políticos e empresários Após seis meses de investigação, a Polícia Civil do DF derruba três núcleos de prostituição em atuação no Distrito Federal. Os grupos usavam sites para anunciar mulheres que tinham como clientela políticos e empresários renomados

Agência Estado

Publicação: 03/12/2013 07:51 Atualização:

Jeany Mary (E) e Marilene Oliveira são apontadas pela polícia com chefes de grupos que exploram a prostituição (Ed Alves/CB/D.A Press)
Jeany Mary (E) e Marilene Oliveira são apontadas pela polícia com chefes de grupos que exploram a prostituição

Promessa de visibilidade, dinheiro e uma vida regada a viagens, joias e carros luxuosos levam garotas de programa a se vincularem a redes de prostituição, nas quais o principal objetivo é o enriquecimento ilícito dos aliciadores. Atraídas pelo alto preço cobrado nos encontros e pela produção profissional de fotografias e sites de divulgação, elas aceitavam se submeter à divisão dos lucros com os chefes, cafetões e cafetinas. Na lista de clientes cativos, figuram políticos e empresários, tornando a capital o cenário perfeito para a prática.

Um esquema milionário acabou desarticulado na manhã de segunda-feira (2/12) após seis meses de investigação. A Operação Red Light — em referência ao distrito de Amsterdã famoso pela atividade — resultou na prisão de nove pessoas envolvidas no aliciamento de mulheres. Entre os presos, estão o PM Alexandre Nunes dos Santos e Jeany Mary Corner, uma das chefes da organização, citada na Operação Afrodite, em 2008, e na CPI dos Correios, em 2003. A polícia identificou três núcleos criminosos interligados. O de Jeany e os de Vilma Nobre e de Marilene Oliveira.

Geovani Nunes, um dos acusados, está foragido. Além de aliciar, os 10 suspeitos ameaçavam as garotas para elas não deixarem o grupo. Algumas são casadas, e os líderes diziam que, se fosse necessário, revelariam aos maridos, aos pais e a outros familiares o trabalho como prostituta. Cada uma das mulheres negociava a porcentagem do valor do programa, que acabava nas mãos dos aliciadores. Em alguns casos, até 50% do preço era repassado.

O serviço oferecido pelos criminosos é conhecido na capital e em outras unidades da Federação, onde eles têm influência no meio político e empresarial. Os clientes pagavam caro. Apesar de as garotas contratadas atenderem diferentes públicos, o destaque ficava na clientela de luxo. Um programa com as belas moças poderia custar até R$ 10 mil. Os anúncios eram postados em sites, e os encontros ocorriam em domicílios alugados a esse fim.
Tags:

Esta matéria tem: (7) comentários

Autor: Jose Fernandes
Já que se fala tanto em moralidade no país, seria de bom alvitre que se publicasse as fotos e o nome das pessoas importantes que estão envolvidos nessa patifaria. As moças, embora não sejam santas não devem ser expostas, uma vez que esse, querendo ou não é o seu meio de vida. | Denuncie |

Autor: Fábio Soares
A polícia desmontou o esquema das prostitutas ? Deveria também ir ao Congresso e desmontar os esquemas dos filhos delas... | Denuncie |

Autor: rafael soares
Sebastião ta certo, direitos humanos para OS HUMANOS, direito de ladrão safado para OS BANDIDOS, tem que soltar OS NOMES e começar a busca das cabeças. | Denuncie |

Autor: Carlo Oliveira
P de luxo com chinelinho havaiana...pobreza não é só de espirito, é física e moral também.... corja....não me venham com essa de que a opção é por falta de oportunidade e educação na nação, é falta de vergonha na cara mesmo e preguiça de ser uma pessoa melhor...profissão antiiiiga né... fazer o que?? | Denuncie |

Autor: Ivan Dutra
No livro sobre o Dirceu, o autor mencionava, que um ministro nomeado graças ao próprio, em agradecimento, mandou um mimo, que o aguardava na suite presidencial do hotel, informando que o "presente" já fôra miss Brasil e atriz da Globo. No auge do Zé Dirceu e o PT no poder, convenhamos, faz sentido. | Denuncie |

Autor: Ivan Dutra
Essa cafetina, ficou conhecida nacionalmente no escandalo que derrubou o Palocci da Fazenda. Mansão de luxo alugada (por quem?) para encontros com politicos petistas. Agora, será que encontros a 10 mil reais, foi pago com verba indenizatória? | Denuncie |

Autor: sebastião costa
Acabem logo com a putaria, citando os nosmes delas e deles; mulheres, maridos, politicticos e empresairos. Certamente, não estavam pagando com o dinheiro deles. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.