Publicidade

Estado de Minas

Philip Roth: Trump é 'um mentiroso compulsivo' e um 'ignorante'


postado em 16/09/2017 12:31

O escritor americano Philip Roth qualificou o presidente Donald Trump como "um mentiroso compulsivo, um ignorante, um fanfarrão, um ser abjeto movido por um espírito de vingança e que já está um pouco senil", em uma entrevista publicada pelo jornal "Libération" neste sábado (16).

"E, ao dizer isso, minimizo seus defeitos. Dia após dia, sua conduta, sua falta de experiência e a inépcia das palavras que pronuncia em público nos indignam. Não há limites para os perigos, aos quais a loucura desse homem pode levar o país e o mundo inteiro", disse o autor de "Pastoral American", um dos habituais favoritos ao Nobel de Literatura, que se aposentou da escrita em 2012.

Questionado sobre o ressurgimento do racismo com os afro-americanos, respondeu: "é evidente que graves problemas nasceram da longa história da opressão dos afro-americanos. No que diz respeito a mim, não acredito, por exemplo, que a maioria dos americanos seja de autênticos racistas. Acredito que haja um grupo de racistas dispostos a tudo entre os membros do Congresso e que haja um na Casa Branca".

Sobre o antissemitismo que "se manifesta no círculo da direita ultranacionalista", considera que "não se possa dizer que o país seja antissemita, ou que esteja disposto a cair no ódio aos judeus de maneira significativa".

Em relação a sua decisão de parar de escrever, o romancista diversas vezes premiado declarou: o fato de "contar histórias, essa coisa que foi tão preciosa para mim durante toda a minha existência, já não está no coração da minha vida".

"É estranho. Jamais imaginei que pudesse acontecer uma coisa parecida comigo. Mas é verdade que acontecem muitas coisas que jamais havia imaginado", afirmou.

Em janeiro, Roth já havia criticado duramente Trump na revista "The New Yorker".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade