Publicidade

Estado de Minas

Hillary Clinton arremete contra Bernie Sanders em novo livro


postado em 08/09/2017 18:10

Hillary Clinton foi responsável, em parte, pela própria derrota nas eleições presidenciais, admite a ex-candidata, mas ela também culpa Bernie Sanders, seu adversário nas primárias democratas, pelo fiasco, em um livro que será lançado na semana que vem nos Estados Unidos.

Os ataques do senador Sanders "causaram danos duradouros, o que dificultou que os progressistas se unissem antes das eleições e abriu caminho para a campanha de Donald Trump contra a 'desonesta Hillary'", escreve a democrata em "What Happened" (Fayard), segundo trechos publicados em meios de comunicação americanos, como NBC e CNN.

O livro chegará às livrarias na terça-feira. Hillary Clinton tem previsto realizar uma turnê de 15 dias pelos Estados Unidos e pelo Canadá para promovê-lo.

A ex-primeira-dama e ex-secretária de Estado critica Bernie Sanders por ter usurpado suas ideias. "Bernie anunciava quase a mesma coisa que eu, só que maior. Em todos os temas, é como se ele prometesse abdominais em quatro minutos, ou em zero minutos, abdominais mágicos!", escreve com sarcasmo.

Bernie Sanders, que continua exercendo seu cargo como senador, respondeu com desdém. "Então Bernie Sanders roubou todas as ideias de Hillary Clinton. Alguém realmente acredita nisso?", disse na MSNBC.

O mea culpa que Hillary havia prometido aos americanos é feito no livro. Ela reconhece que sua campanha "não teve a mesma paixão nem o mesmo sentido de urgência" que a de seu marido, Bill Clinton, em 1992. Também se arrepende de ter afirmado, dois meses antes da eleição, que metade dos eleitores de Donald Trump eram pessoas "lamentáveis".

Hillary afirma, ainda, que não concorreu apenas com Trump. "Também enfrentei o aparelho de inteligência russo, um diretor do FBI desorientado e um colégio eleitoral agora abandonado".

A obra não esconde seu rancor contra James Comey, o então diretor do FBI que reabriu brevemente, dias antes das eleições, a investigação sobre seus e-mails, que tinha afetado seriamente a imagem da candidata e havia sido encerrada meses antes.

Comey, posteriormente destituído por Trump, é alvo da sua arremetida. "Sem a intervenção espetacular do diretor do FBI nos últimos dias, teríamos ganhado a Casa Branca", afirma nas páginas de "What Happened".

Hillary critica também, embora sutilmente, o ex-presidente Barack Obama por não ter feito mais para denunciar publicamente a ingerência russa.

No final, a democrata admite que, após mais de um quarto de século na frente de batalha, sua oportunidade passou.

"Aceitei o fato de que muita gente - milhões e milhões de pessoas - decidiu que não gostava de mim. Imaginem como isso me fez sentir".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade