Publicidade

Estado de Minas

Cruz Vermelha lança apoio financeiro para ajuda humanitária


postado em 08/09/2017 15:46

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) lançou nesta sexta-feira um modelo de financiamento de assistência a países em conflito, com a apresentação do primeiro produto financeiro que será remunerado em função da eficácia da ajuda aportada.

"Esse mecanismo de financiamento inovador foi criado para encorajar o setor privado a apoiar os programas de saúde do CICV mediante investimentos sociais", explicou a organização com sede em Genebra.

"São principalmente a multiplicação dos conflitos e o aumento do seu orçamento anual que levaram o CICV a imaginar esse modelo inovador", acrescentou em um comunicado.

O programa começa a dar seus primeiros passos.

Os fundos criados por investidores - 27,5 milhões de dólares - vão servir para construir e fazer funcionar, durante cinco anos, três novos centros de readaptação física em Nigéria, Mali e República Democrática do Congo, que vão atender milhares de pessoas.

O programa também vai cobrir os custos de formação de pessoal, que foram contratados recentemente.

Ao fim do quinto ano, os financiadores finais (Bélgica, Suíça, Itália, Reino Unido e a Fundação La Caixa) vão entregar os fundos ao CICV em função dos resultados obtidos.

Eles vão servir para reembolsar os investidores parcialmente, completamente ou com juros, dependendo do "grau de eficácia alcançado pelos novos centros do CICV", indicou o comunicado.

Essa "eficácia" vai ser medida com base do número de pessoas que tiverem recebido ajuda para a mobilidade de profissionais de readaptação física, e será comparado com a dos centros já estabelecidos.

Se os resultados dos novos centros não alcançarem o valor de referência, o investidor social vai perder um certo percentual de seu investimento inicial. Se, ao contrário, o valor de referência foi superado, ele vai receber o montante de seu investimento inicial mais juros anuais.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade