SIGA O EM

Ex-presidente dominicano diz que ação militar na Venezuela seria algo 'nefasto'

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 13/08/2017 18:37

Agência Estado

Santo Domingo, 13 - O ex-presidente da República Dominicana Leonel Fernández, que participou de uma comissão mediadora entre o governo e a oposição da Venezuela, considerou que uma eventual ação militar americana no país seria "nefasta" e um "grave erro histórico". O governo dominicano também considerou que uma intervenção agravaria o conflito interno.

"Uma intervenção militar, além de deixar vulneráveis os princípios da legalidade internacional, seria a pior alternativa", escreveu o ex-presidente em seu perfil no Twitter. A mensagem de Fernández veio após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter dito na sexta-feira que não descartava uma ação militar na Venezuela.

"Seria uma opção simplesmente nefasta e um grave erro histórico. Apoiamos a negociação pacífica", insistiu Fernández. Segundo ele, os outros ex-presidentes que acompanharam a comissão mediadora - Marín Torrijos (Panamá) e José Luis Rodríguez Zapatero (Espanha) - creem que "um acordo de convivência democrática é a solução para os problemas da Venezuela".

Neste domingo, a chancelaria dominicana considerou que uma eventual intervenção militar agravaria o conflito interno venezuelano. "Evidentemente seria uma contradição se o que se busca é a resolução de uma crise política interna", disse o chanceler dominicano Miguel Vargas, em um comunicado. Vargas recordou que, desde o começo da crise na Venezuela, a República Dominicana colocou à disposição seu território para que governo e oposição venezuelanos estabeleçam diálogo. Fonte: Associated Press.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600