SIGA O EM

Muçulmanos protestam na Indonésia contra governador cristão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 02/12/2016 06:16

AFP /Agence France-Presse

Dezenas de milhares de muçulmanos protestaram nesta sexta-feira em Jacarta, após uma convocação de organizações islamitas, para exigir a detenção do governador da capital da Indonésia, acusado de blasfêmia.

A multidão se reuniu no grande parque do monumento nacional, no centro da capital, na presença de um importante dispositivo de segurança - 22.000 policiais e militares. Os organizadores esperavam 150.000 pessoas.

O governador de Jacarta, Basuki Thahaja Purnama, conhecido como Ahok, gera uma onda de repúdio no país muçulmano de maior população do mundo por declarações polêmicas sobre o Islã em plena campanha para tentar a reeleição, em fevereiro de 2017.

Procedente de duas minorias - cristã e chinesa - Ahok afirmou no fim de setembro que as interpretações por determinados ulemás (teólogos muçulmanos) de um versículo do Alcorão segundo o qual um muçulmano só pode votar em outro muçulmano estavam equivocadas.

Após a polêmica provocada por suas palavras, o governador pediu desculpas, mas não conseguiu acalmar os ânimos e em novembro foi acusado de blasfêmia.

"A única coisa que queremos é justiça e com isto quero dizer a detenção de Ahok", declarou Ricky Subagia, manifestante que viajou de Garut, cidade a 200 km de Jacarta.

Convidado pelos organizadores a subir no palanque, o chefe da polícia nacional, Tito Karnavian, foi vaiado pela multidão, aos gritos de "Ahok na prisão".

O governador, que era o grande favorito antes da polêmica, perdeu parte de sua popularidade e agora aparece em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto para as eleições.



Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600