SIGA O EM

Governo sírio diz ter conquistado maior bairro rebelde de Aleppo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 26/11/2016 21:22

AFP /Agence France-Presse

O Exército sírio conquistou neste sábado (26) o bairro do setor rebelde em Aleppo, no norte do país - informaram veículos de comunicação oficiais.

A TV pública indicou que as Forças Armadas tinham "tomado o controle total do setor de Massaken Hanano", enquanto a agência de notícias oficial, Sana, reportou que operações de retirada de minas estavam em andamento.

Segundo o diretor do Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), Rami Abdel Rahmane, "as forças do regime controlam 80% de Massaken Hanano, e os 20% restantes, ao alcance de disparos".

Restam "algumas poucas centenas de metros às forças do regime para cortar o setor rebelde em dois", o que isolaria o norte do sul, declarou à AFP.

Massaken Hanano foi o primeiro bairro que os rebeldes conquistaram no verão de 2012, o que levou à divisão de Aleppo em uma parte leste, controlada pelos insurgentes, e uma zona oeste, nas mãos das forças do governo.

Desde então, mais de 250.000 civis são afetados pelo cerco do governo da parte leste, assim como pela falta de alimentos e de produtos de primeira necessidade.

A conquista de Massaken Hanano, no nordeste de Aleppo, faz parte de uma ofensiva de envergadura que entrou hoje em seu 12º dia e que pode isolar esse setor da cidade das áreas que os rebeldes controlam no sul.

Desde 15 de novembro, os bombardeios do governo no leste de Aleppo levaram à morte de 212 civis, incluindo 27 crianças, completou o OSDH.

Yasser al-Youssef, do grupo rebelde Nuredin al-Zinki, afirmou que há confrontos no flanco sul de Massaken Hanano, ao qual se referiu como um distrito de "importância estratégica".

Youssef advertiu que, se as forças do governo continuarem a avançar para o bairro adjacente de Sakhur, o leste de Aleppo ficará dividido em dois.

Por causa dos violentos combates e dos ataques contra Massaken Hanano, dezenas de famílias que vivem nos bairros vizinhos de Sakhur e Haydariyé fugiram para o sul da parte rebelde da cidade, acrescentou o OSDH.

Segundo o Observatório, Sakhur também recebeu o impacto de projéteis no sábado, como outras zonas do leste de Aleppo. Pelo menos 11 civis morreram.

No sábado, um correspondente da AFP em um desses distritos viu quatro famílias, sem bagagem, chegar a pé, em busca de abrigo.

"Em Hanano, nos últimos três dias, não conseguiram pisar na rua por causa dos intensos bombardeios", declarou Abu Fadel, que os ajudou a encontrar um lugar para ficar.

"Foram embora a pé, porque não tinham outro meio de transporte. Inicialmente, estavam assustados, mas quando viram tanta gente em volta e que não havia bombardeios, se tranquilizaram", acrescentou.

As forças do governo avançam em Massaken Hanano há vários dias e, na sexta, a televisão pública relatou que estavam progredindo "de três eixos".

Damasco afirma que tanto os moradores do leste de Aleppo como os combatentes rebeldes são livres para ir embora, mas acusa os rebeldes de usar os civis como "escudos humanos".

No total, 212 civis, entre os quais 27 crianças, morreram desde o início da ofensiva do governo de Bashar al-Assad no leste de Aleppo em 15 de novembro, acrescentou a mesma fonte.



Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600