SIGA O EM

OMC: não há indícios" de que Trump irá tirar os EUA da organização

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 24/11/2016 12:07

AFP /Agence France-Presse

O diretor-geral da Organização do Mundial do Comércio afirmou nesta quinta-feira que não há indícios de que os Estados Unidos vão deixar a organização quando Donald Trump se virar o novo presidente.

"Não tenho qualquer indício de que possa acontecer isso", declarou o brasileiro Roberto Azevêdo falando à imprensa.

Durante sua campanha, Trump classificou a organização de "desastre" e deu a entender que os Estados Unidos poderiam abandoná-la.

Azevêdo enfatizou que é prematuro especular sobre a presidência de Trump.

"Não sei quais são as políticas comerciais. Não falei com ele", explicou.

"O que temos de fazer é estar preparados para conversar" com a equipe econômica de Trump, acrescentou o brasileiro.

Azevêdo reconheceu que muita gente nos países ocidentais considera que o comércio internacional destrói postos de trabalho, apesar de não haver provas disso. "Se o remédio só é o protecionismo, não se faz mais do que agravar o estado do paciente", garantiu.

Segundo o diretor-geral da OMC, alguns políticos usam a globalização para justificar o desemprego e as dificuldades econômicas.

"Um erro que cometemos no passado, inclusive em organizações como a nossa, foi pensar que as pessoas entendiam a importância do comércio", disse.

"O comércio é um elemento [econômico] tão claramente positivo que as pessoas esquecem de explicar o porquê", completou. "É preciso voltar a defender o comércio".

Donald Trump já anunciou que retirará os Estados Unidos do Acordo Transpacífico (TPP), um ambicioso tratado comercial negociado por anos.

O TPP, promovido pelos Estados Unidos durante a presidência de Barack Obama, foi assinado em 2015 entre 12 países com acesso ao Pacífico.



Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600