SIGA O EM

Trump surpreende e nomeia duas mulheres para seu futuro gabinete

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 23/11/2016 20:01

AFP /Agence France-Presse

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, designou nesta quarta-feira duas mulheres para seu futuro gabinete, em uma tentativa de injetar diversidade à equipe com a qual governará a partir de 20 de janeiro.

A governadora pela Carolina do Sul, Nikki Haley, uma estrela em ascensão da ala mais conservadora do Partido Republicano, será a embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas, informou ao longo do dia a equipe do futuro chefe da Casa Branca.

A bilionária Betsy DeVos será secretária de Educação. DeVos é uma fervorosa defensora das "charter schools", escolas que recebem recursos oficiais, mas são administradas como empresas privadas.

Haley e DeVos tornaram-se, assim, as primeiras mulheres a integrar o gabinete de Trump. A nomeação das duas ainda terá que ser aprovada pelo Senado.

Estrela ascendente

No caso de Haley, seu cargo tem status ministerial e sua nomeação não depende do secretário de Estado, posto para o qual Trump ainda não tomou uma decisão.

Aos 44 anos e filha de imigrantes indianos, Haley é considerada uma personalidade em ascensão na ala ultraconservadora do Partido Republicano.

Em nota, manifestou sentir-se "honrada" pela proposta de Trump de representar seu país na ONU, apesar de ter sido severamente criticada durante a campanha eleitoral.

Em fevereiro, Haley chegou a comentar que Trump representava "tudo o que um governador não quer em um presidente".

No entanto, na nota oficial sobre o anúncio a equipe de Trump não poupou elogios.

"A governadora Haley é uma das autoridades mais universalmente respeitadas no nosso país. Será uma grande líder para nos representar na cena mundial", destacou a nota.

Haley - cujo nome completo é Nimrata Nikki Randhawa - é filha de um casal sikh que se radicou nos Estados Unidos e abriu uma modesta loja de roupas.

Seu nome ficou conhecido em 2010, quando a ex-candidata à vice-presidência Sarah Palin a apoiou em sua campanha para o governo da Carolina do Sul.

A ajuda de Palin foi interpretada como um gesto para atrair figuras femininas no âmbito do chamado Tea Party, a facção ultraconservadora do Partido Republicano.

Gabinete em formação

DeVos, ao contrário, tem uma longa relação com o Partido Republicano. Sua família está relacionada com a empresa Amway e ela mesma foi dirigente do partido em Michigan.

Aos 58 anos, é vista como uma defensora da educação privada. A Fundação DeVos afirma que se dedica a "romper as barreiras às opções na educação".

Ela é irmã de Erik Prince, o fundador da empresa de segurança Blackwater, que conseguiu contratos bilionários durante a invasão ao Iraque e terminou envolta em um escândalo pelo massacre de civis em 2007 naquele país.

Trump voltou a usar o Twitter para antecipar seus planos de governo na noite de terça-feira.

Em um post, o presidente eleito escreveu que "considerava seriamente" o médico ultraconservador Ben Carson, seu ex-adversário nas prévias republicanas, para o cargo de Habitação e Urbanismo.

"Cheguei a conhecê-lo muito bem. É uma pessoa talentosa que sente amor pelas pessoas", escreveu o magnata do setor imobiliário.

Até o momento, Trump nomeou o senador Jeff Sessions como futuro secretário de Justiça e procurador-geral, Mike Pompeo, como chefe da CIA e Reince Priebus como seu chefe de gabinete.

Além disso, nomeou o general reformado Mike Flynn como assessor sobre a segurança nacional e o editor Steve Bannon como seu chefe de estratégia.



Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600