Estado de Minas - Acompanhe as últimas notícias sobre Minas Gerais, economia, política, nacional, internacional, ciência e tecnologia Guri

SIGA O EM

Talento do automobilismo leva o nome do ídolo

Esporte traz benefícios para o corpo e a mente, além de ser garantia de diversão e alegria contagiante

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/09/2015 11:20 / atualizado em 08/09/2015 20:03

Bárbara Gil/Divulgação
Velocidade, aventura e emoção. Ingredientes garantidos quando o assunto é kartismo. Reconhecido como a porta de entrada para outras formas de automobilismo, o kart já formou grandes campeões como Nelson Piquet, Michel Schumacher, Alain Prost e Sebastian Vettel. A adrenalina das pistas é contagiante, e, em muitos casos, basta uma única corrida para se encantar pelo esporte.

Foi assim com Ayrton Gil, de 11 anos. O nome já é de campeão e a trajetória até aqui também. Fã de Ayrton Senna, já tem uma coleção de troféus em casa e acumula títulos estaduais e nacionais como o Campeonato Mineiro de Kart, Copa Sudeste, GP Nacional e Open Copa Brasil de Kart. O amor pela velocidade veio aos 6 anos. Na época, o interesse pelo esporte era de Bárbara, sua irmã, que queria pilotar um carro. “Também quis pilotar para ver como era. Então, pedi ao meu pai, e gostei muito. O gerente do kartódromo disse que eu era bom”, conta. Desde então, o garoto não parou mais de correr.
Arquivo pessoal
Com total apoio do pai, Pedro, que também foi piloto de kart na juventude, Ayrton segue crescendo no esporte, conquistando pódios e ganhando a admiração de grandes nomes do automobilismo, como Emerson Fittipaldi, o primeiro brasileiro a se tornar campeão mundial de Fórmula 1. Também entra na lista o piloto Rubens Barrichello, que já acompanhou de perto algumas corridas de Ayrton. O talento mineiro também chamou a atenção da Ferrari, que, em 2014, o convidou para a Academia de Jovens Pilotos na Itália.

A rotina é agitada. Ayrton costuma treinar duas vezes por semana e sempre aparece uma viagem para fazer, já que ele também compete em torneios de outros estados. Em meio a tantos compromissos, há uma prioridade fundamental: a escola. A mãe, Elaine, acompanha de perto o desenvolvimento escolar do filho, que está no 6º ano. “Ele é um bom aluno, mas tem que correr atrás, principalmente depois das competições fora de BH. Se for mal nas notas, o kart fica em segundo plano”, diz. O piloto estuda no Coleguium Rede de Ensino, que também é o seu patrocinador oficial.
Flávio Quick/Divulgação
ESTUDO REFORÇADO O clima acirrado das pistas não prejudica os estudos, já que os benefícios do kartismo vão além da diversão. Wellington Horta, gestor do projeto Escola de Cadetes do kartódromo RBC, onde Ayrton começou a pilotar, explica que o esporte ajuda muito nessa área. “A disciplina, necessária no kartismo, agregada à exigência de alto nível de concentração e ao desenvolvimento da sensibilidade e do espírito de competição, só tem a somar no cotidiano das crianças e resulta na melhora do rendimento escolar.”

Segundo Wellington, a idade ideal para iniciar no esporte é de 6 a 10 anos. Para progredir na carreira, a criança precisa de apoio e incentivo. É o que não falta a Ayrton Gil, que, atualmente, está disputando o campeonato mineiro. A próxima etapa será no dia 19, na RBC Racing, em Vespasiano. O piloto, que corre pela equipe Speed Motor Sport, está animado. “Vou fazer de tudo para ganhar, quero ser tricampeão.”
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600