Estado de Minas - Acompanhe as últimas notícias sobre Minas Gerais, economia, política, nacional, internacional, ciência e tecnologia Guri

SIGA O EM

DIVERSÃO ALTERNATIVA

Meninada troca sessões de cinema por passeios em parques e praças para economizar

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/08/2015 11:05 / atualizado em 02/08/2015 11:19

Marta Vieira

Arte: Estado de Minas


Se vocé é, de fato, um antenado, já percebeu que a crise da economia tão comentada nos jornais, na TV e na internet tem tudo a ver com a vida de cada família dentro e fora de casa. Os passeios diminuíram desde o ano passado, o roteiro das férias mudou ou ficou mais curto porque seus pais vivem um aperto maior no bolso. A mesada já não é mais a mesma. Você precisa entender que crise é sinônimo de muitas coisas que estão ocorrendo no país hoje: da inflação alta, do aumento das tarifas de energia, água, IPTU e da gasolina, de salários, que perdem o poder de comprar a quantidade que era possível antes, e de muitos ajustes nas empresas que levam ao desemprego.

Você se lembra do preço que pagou pelo álbum de figurinhas da Copa de 2014? Aqueles R$ 5,90 entregues ao dono da banca pelo livro ilustrado dos times representaram 19,5% acima do tanto que a variação geral dos preços dos alimentos à escola, aos planos de saúde etc. subiu em relação aos R$ 4, que você pagou para comprar o álbum da Copa anterior, de 2010. Veja aí na sua carteira quanto você pode comprar agora, contando o álbum do Campeonato Brasileiro e as figurinhas. Cada pacote de quatro estampas custa R$ 1, mas se o desejo for as figurinhas e um exemplar da coleção Gogo's da Disney, serão necessários R$ 4.

Anote também no caderno o que você gasta em lanches na cantina do colégio ou no pipoqueiro da esquina. Vá comparando os valores nas próximas semanas e no mês que vem e, provavelmente, se você já não fez isso, vai descobrir que a sua vida está mais cara. E não é por outro motivo que seus pais, preocupados, estão fazendo o mesmo para não deixar que as despesas fiquem maiores do que o que eles ganham no trabalho. No Brasil, essa é uma das principais explicações para a crise econômica.

O governo vem há algum tempo gastando mais do que arrecada em impostos e outras contribuições das pessoas e das empresas. Nada é mais insustentável do que gastar mais do que ganha. Se você torrou toda a sua mesada antes do fim do mês ou pediu emprestado a um colega ou, ainda, comprou fiado no carrinho do pipoqueiro conhecido, vai sentir o quanto é difícil pagar a dívida nos dias de hoje. Com os seus pais e o governo não é diferente.

CORTES
Foi o que o pai de Maria Paula Carvalho, de 9 anos, tentou a explicar a ela. “Vejo meus pais conversando, minha mãe reclamando que o supermercado está caro, que a conta de luz aumentou e que eles estão economizando onde podem e cortando gastos”, conta Maria Paula. Por isso e preocupados com uma situação que ainda pode se complicar nos próximos meses, os pais dela trocaram a sessão de cinema e a visita frequente ao shopping center pelos passeios ao ar livre em parques e pracinhas. “Para falar a verdade, não acho ruim, estou aproveitando da mesma forma ou até mais, já que sempre levo meus patins ou a bicicleta”, confessa Maria Paula.

Juan Vitório, de 8 anos, por sua vez, não gostou nada de saber o significado da crise da economia. “Ia ao cinema todo fim de semana. Agora, minha mãe só deixa que eu vá duas vezes por mês. Ela diz que está cortando gastos aqui em casa, porque o país está enfrentando uma crise na economia e que ela pode aumentar ainda mais os cortes”, afirma. Os antenados precisam colaborar com os pais e não é ruim assim. Como diz Maria Paula Carvalho, dá para aproveitar de uma forma ou de outra. A crise nos faz aprender a usar a criativade para vencer os problemas que ela nos causa. Mãos à obra.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600