Publicidade

Estado de Minas

Polícia investiga caso de homem que se masturbou dentro de ônibus em Uberlândia

Ocorrência foi na noite da sexta-feira. Servidor público municipal praticou ato sexual próximo de uma passageira de 20 anos. A jovem deu o alerta e outras pessoas que viajavam no coletivo viram a cena


postado em 11/09/2017 17:08 / atualizado em 11/09/2017 20:58

Policiais civis de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, a 557 quilômetros da capital, estão investigando a denúncia contra o servidor público municipal L.C.P., de 47 anos, de importunação ofensiva ao pudor. Ele foi detido no fim da noite da sexta-feira, quando se masturbava dentro de um ônibus, próximo a uma jovem de 20 anos.

A garota pediu ajuda ao ver o ato e o homem, que trabalha como agente de serviços gerais do Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) desde 1992, foi detido por policiais militares. O acusado vestia ainda o uniforme de trabalho e usava crachá.


Levado para a delegacia de plantão, ele admitiu o ato. Foi ouvido e assinou um Termo Circunstancial de Ocorrência (TCO), em que se comprometeu a comparecer a audiência marcada no Juizado Especial Criminal de Uberlândia.

Apesar da gravidade do ato e o consequente constrangimento da jovem diante da cena, o caso nem sequer é considerado crime. É tratado como contravenção penal e, por ser ocorrência de menor potencial ofensivo, cabe ao Juizado Especial definir a punição do infrator, que responde em liberdade pelo ato.

A ocorrência foi por volta das 23h30 da sexta-feira. O homem e a jovem seguiam viagem no ônibus que fazia a linha 1341, que liga os terminais Planalto e Santa Luzia. Quando o coletivo passava pelo cruzamento da Avenida Liberdade com Rua da Carioca, no Copacabana, na área central da cidade, a garota e duas testemunhas perceberam que o servidor público estava com o pênis para fora, se masturbando. Passageiros, revoltados ligaram para a PM.

O Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae), por meio de sua assessoria de comunicação, informou que o servidor não foi afastado de sua função e voltou ao trabalho nesta segunda-feira. Ainda conforme o Dmae, L. largou serviço às 17h da sexta-feira, apesar de vestido com o uniforme do departamento. Nos quase 25 anos de trabalho no local não consta nada em sua ficha que o desabone. Porém, PMs disseram que ele tem passagens policiais, em 2012. O órgão municipal garantiu que vai acompanhar o caso e abrir um procedimento interno de apuração.

O servidor público municipal é concursado, casado e pai de uma adolescente.

RB

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade