Publicidade

Estado de Minas

Monumento a Iemanjá é retirado da Pampulha para ser restaurado

Escultura é de 1982 e já passou por modificações anteriormente para correção de danos causados por depredações


postado em 05/09/2017 10:27 / atualizado em 05/09/2017 12:10

(foto: Beto Novaes/ EM/DA Press)
(foto: Beto Novaes/ EM/DA Press)
O Monumento à Iemanjá foi retirado da orla da Lagoa da Pampulha na manhã desta terça-feira. A imagem passará por obras de recuperação e manutenção preventiva durante três meses. 

De acordo com a Fundação Municipal de Cultura, o pedestal onde está fixado o monumento também vai ser restaurado, porque apresenta um inclinamento que poderia causar danos à estátua.

O largo existente em frente ao monumento na Lagoa também será reformado e vai ganhar uma iluminação especial. 

As obras estão previstas para terminarem em novembro deste ano, quando o Monumento a Iemanjá será recolocado na orla da Lagoa da Pampulha
(foto: Beto Novaes/ EM/DA Press)
(foto: Beto Novaes/ EM/DA Press)

Monumento histórico


A escultura é obra do artista José Synfronini de Freitas Castro. Ela foi inaugurada em 24 de abril de 1982. Inicialmente, a obra foi produzida em mármore sintético branco e ficava localizada na beira da Lagoa da Pampulha, em uma espécie de deck, que a circundava. 

Devido às depredações, a obra passou por modificações ao longo dos anos. Em 13 de agosto de 1988, a escultura foi substituída por uma feita em bronze, material mais resistente. Já em 2003, optou-se pela fixação da escultura no espelho d’água, distante cerca de 10 metros da beira da lagoa. 

Em 18 de agosto de 2007, foi inaugurado o Portal da Memória, monumento feito em homenagem às matrizes culturais africanas. O monumento foi criado pelo artista Jorge dos Anjos e foi projetado em aço. Dessa maneira, se tem se a configuração atual da Praça de Iemanjá, importante ponto turístico e de celebração, Patrimônio Cultural de Belo Horizonte. 

O Monumento a Iemanjá se constitui em elemento simbólico para os grupos sociais devotos das práticas religiosas de matriz africana. As imediações do monumento são palco de diversas celebrações e manifestações que tem nesse suporte material a representação dos conteúdos socioculturais próprios de suas práticas. 

As homenagens a Iemanjá ocorrem no Brasil há muito tempo. Em Belo Horizonte, acontece anualmente a Festa de Iemanjá, sempre no mês de agosto. Essa festividade ocorre regularmente desde 1957 e nos primeiros anos se iniciava na Praça da Estação, de onde saia uma extensa comitiva de carros em direção à Lagoa da Pampulha, local de confluência de águas e espaço privilegiado para essa celebração. 
 
*Sob supervisão do editor Benny Cohen

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade