Publicidade

Estado de Minas

Peregrinos inauguram roteiro de 37 dias entre Serra da Piedade e Aparecida (SP)

O Caminho Religioso da Estrada Real (Crer) tem duração de 37 dias e cerca de 900 quilômetros, passando por 36 cidades


postado em 04/09/2017 06:00 / atualizado em 04/09/2017 08:02

Na Serra da Piedade, fiéis dão a largada para o trajeto entre os santuários das padroeiras de Minas Gerais e do Brasil(foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
Na Serra da Piedade, fiéis dão a largada para o trajeto entre os santuários das padroeiras de Minas Gerais e do Brasil (foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
Desde ontem Minas Gerais tem uma nova forma de turismo religioso: dezenas de fiéis iniciaram pela manhã um roteiro de peregrinação entre o Santuário Nossa Senhora da Piedade, em Caeté, e o Santuário de Aparecida, em São Paulo. O trajeto de 37 dias recebeu o nome de Caminho Religioso da Estrada Real (Crer), tem cerca de 900 quilômetros e passará por 36 cidades – 32 mineiras e quatro paulistas. Ao longo dos dias, novos integrantes se juntarão ao grupo para a peregrinação, que tem previsão de chegar ao santuário da padroeira do Brasil em 9 de outubro.

Apenas três pessoas farão todo o trajeto, inspirado no caminho de Santiago de Compostela, que vai da França à Espanha. Uma delas é o relações-públicas Cláudio Luiz de Carvalho Leão, primeiro a percorrer toda a Estrada Real, em 2001, e responsável pela demarcação dos marcos sinalizadores. Para ele, esta é uma oportunidade de despertar nos turistas o interesse pela beleza e misticismo da rota. “Vamos de forma mais lenta, parando nas cidades e realizando eventos para falar do caminho religioso”, afirmou ele. A ideia é que os peregrinos façam caminhadas diárias de cerca de seis horas e parem em cada uma das 36 cidades que compõem a rota.

A funcionária pública aposentada Isabel Cristina Lage Duarte é outra que não escondeu a emoção por fazer parte do projeto. “É um desafio, uma oportunidade de reflexão e autoconhecimento”, afirmou ela, que pela primeira vez fará esse tipo de turismo. No quesito físico, Isabel conta com a prática de atividades diárias para conseguir terminar os 37 dias de caminhada. “Mas acho que a preparação é muito mais espiritual e psicológica que física”, completou.

O trajeto pode ser feito a pé, a cavalo ou de jipe off-road e o turista pode iniciar a rota de qualquer ponto em uma única viagem ou por etapas. Totens foram instalados em locais estratégicos, indicando as direções e o mapa geral do caminho. A Secretaria de Turismo investiu cerca de R$ 2,6 milhões na infraestrutura turística, que inclui a implantação de quiosques, paraciclos, escada de acesso, placas informativas e de advertência para motoristas, reparação de uma cabeceira de ponte e uma pinguela.

Messias Leandro e Isabel Duarte prontos para a caminhada: 'É um desafio, uma oportunidade de reflexão e autoconhecimento', diz ela(foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
Messias Leandro e Isabel Duarte prontos para a caminhada: 'É um desafio, uma oportunidade de reflexão e autoconhecimento', diz ela (foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
BÊNÇÃO A solenidade de lançamento do Crer contou com a presença do governador Fernando Pimentel (PT), o secretário de Turismo Ricardo Faria, e o arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo – que abençoou os participantes. Uma missa também foi celebrada no santuário. Para Ricardo Faria, o caminho será importante para o desenvolvimento econômico dos municípios, além de fortalecer ainda mais o turismo religioso, com forte tradição em Minas Gerais, que tem seu patrimônio histórico ligado às artes sacras e responde por 70% desse segmento no país.

“Ao celebrar a sua fé, o romeiro vai incentivar a região, conhecer a gastronomia mineira e a nossa história. É um grande produto turístico, que conta com a parceria fundamental da Igreja Católica”, disse o secretário de Turismo. Para marcar o caminho percorrido, o turista poderá adquirir um passaporte para registrar os locais por onde passou nos pontos de apoio do Crer. Aquele que percorrer todo o caminho receberá um certificado de conclusão.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade