SIGA O EM

Novas mudanças no trânsito de BH começam pelo Bairro São Pedro

BHTrans começa a implantar mudanças de circulação em mais cinco regiões da capital. Desde 2013, foram ao menos 21 grandes alterações

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1129792, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Alexandre Guzanshe/EM/DA Press', 'link': '', 'legenda': 'Trecho da Rua Raul Pompeia, no S\xe3o Pedro, passou a operar em m\xe3o \xfanica desde ontem', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2017/06/21/877855/20170621073117782772o.jpg', 'alinhamento': 'left', 'descricao': ''}]

postado em 21/06/2017 06:00 / atualizado em 21/06/2017 07:34

João Henrique do Vale , Junia Oliveira /

Alexandre Guzanshe/EM/DA Press
Quando o assunto é trânsito, Belo Horizonte está em constante mudança. Tantas que um antigo morador ou turista de Belo Horizonte que esteja há pelo menos quatro anos sem vir à cidade, numa eventual visita, deve ficar atento às placas de sinalização para não entrar na contramão. Desde 2013, foram pelo menos 21 grandes adequações no tráfego de ruas e avenidas, com alterações na circulação de veículos, implantação de novos semáforos e de travessias para pedestres. Ontem, a BHTrans começou mais uma série de novidades em bairros de cinco regiões da capital. Elas ilustram como a empresa tem recorrido a frequentes ajustes para enfrentar engarrafamentos e atender pedidos de moradores. Especialista cobra, no entanto, planejamento de longo prazo.

A primeira nova mudança entrou em vigor ontem no Bairro São Pedro, na Região Centro-Sul de BH. O trecho da Rua Raul Pompeia, entre as ruas Major Lopes e Raimundo Corrêa, passou a operar em mão única, encerrando uma demanda antiga dos moradores. Hoje, é a vez de dois bairros: o Liberdade, na Pampulha, e o Lindeia, no Barreiro. Amanhã, alterações atingem ruas do Nova Cintra, na Região Oeste, na área próxima ao cemitério Parque da Colina. Na sexta-feira, a última mudança será feita na Rua Tenente Serpa, no Bairro Coqueiros (Região Noroeste).

As alterações fazem parte do Plano de Mobilidade de Belo Horizonte, por meio do qual são feitas intervenções no sistema viário da Área Central, que por sua vez integram o programa Operação Trânsito Melhor – Mobicentro. Esse programa, iniciado em 2013, tem algumas estratégias, como priorizar o caminho dos pedestres e dar fluidez ao transporte coletivo, facilitar os fluxos de saída do tráfego geral do Centro da capital e organizar os fluxos dos veículos com o menor percurso possível. O Mobicentro tem recurso de R$ 50 milhões.

Professor de engenharia de Transporte e Trânsito da Universidade Fumec, Márcio Aguiar considera válidas as mudanças, mas avalia que a cidade precisa de medidas mais efetivas. “A BHTrans tem tido até certo ponto sucesso nessas intervenções, mas elas são feitas para resolver questões emergenciais”, opina.


O especialista acredita que em pouco tempo haverá consequências. “Daqui alguns anos teremos problemas maiores. Faz mão inglesa, melhora aqui e ali e, agora, estão preocupados com algumas regiões que começam a mostrar constantes congestionamentos. A Avenida Cristiano Machado, por exemplo, em ligações maiores, como a Cidade Administrativa, começa a ter engarrafamentos em horários que antes não havia.”

Em nota sobre as novas mudanças feitas esta semana no trânsito da cidade, a BHTrans sustenta que as ações visam ampliar a segurança no trânsito em áreas residenciais, próximo a escolas e regiões com grande concentração de veículos e pessoas.

Novos caminhos

Veja algumas mudanças no trânsito de BH nos últimos quatro anos

» 2013
Mudança de circulação na região da Praça da Estação
Novos acessos para a Avenida João Pinheiro
Novos acessos para a Rua Rio Grande do Norte e Avenida Brasil

» 2014
Alterações nas ruas Goiás e Sergipe e na Avenida Augusto de Lima
Mudança de circulação na Avenida Silviano Brandão (mão invertida)
Alterações de circulação na Praça Hugo Werneck, na Região Hospitalar
Novo acesso no Viaduto B, no Complexo da Lagoinha
Nova pista de circulação na Avenida Carandaí, na Região Hospitalar
Alterações de circulação na Praça Lucas Machado, na Região Hospitalar
Alterações de circulação na Avenida Oiapoque e Rua Curitiba
Novos acessos na Avenida Augusto de Lima
Alterações de circulação na Avenida Olegário Maciel e ruas dos Caetés e do Acre
Novo acesso na Avenida João Pinheiro

» 2015
Mudanças nos cruzamentos da Avenida Bias Fortes com Rua dos Tupis e da Avenida do Contorno com Rua Araguari, no Barro Preto
Novos acessos na Praça 7, com intervenções na Avenida Afonso Pena com Rua Espírito Santo, alterações de circulação na Afonso Pena com Rua São Paulo e com Avenida Amazonas
Mudança de circulação nas Ruas Curitiba e dos Tupinambás
Mudança de circulação nas ruas Espírito Santo e Tupis
Mudança de circulação na Avenida Assis Chateaubriand

» 2016
Mudanças no Barro Preto: Mão única na Rua Uberaba, entre as ruas Alvarenga Peixoto e Gonçalves Dias; novo semáforo no cruzamento da Contorno Rua Gonçalves Dias; reposicionamento e implantação de travessias de pedestres
Lourdes: Implantação de mão única na Rua Rio de Janeiro entre as ruas Tomaz Gonzaga e Felipe dos Santos; novo semáforo no cruzamento das ruas São Paulo e Professor Antônio Aleixo.
Santo Agostinho: Novos acessos semaforizados à direita da Avenida Barbacena para Avenida Amazonas e novas travessias de pedestres

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Elias
Elias - 21 de Junho às 15:57
O bairro coqueiros esta precisando de mudanças rápido no trajeto do ônibus 4405, do final até a rua Guararapes é um absurdo os encontros dos ônibus, que ficam presos tendo que fazer manobras de ré, passando para contra mão, ou esperando que carros sejam tirados para dar passagens aos ônibus.
 
Paulo
Paulo - 21 de Junho às 14:52
Na Av. Amazonas, entre R. Araguari e R. Ouro Preto, existem 4 pistas no sentido Bairro/Centro. Existe um sinal para entrar à esquerda na Rua Araguari, com uma faixa, e um ponto de ônibus. Acontece que, embora proibido, os veículos, principalmente ônibus ocupam duas faixas, ao invés de uma. Assim, quando tem ônibus parado no ponto, só se trafega em uma faixa. Isso dura anos. Cadê a fiscalização?
 
Marcos
Marcos - 21 de Junho às 12:05
A impressão que fica é que eles mudam por mudar, sem um certo critério e profissionalismo. Quero ver o que vão fazer hoje aqui no Liberdade. A última intervenção havida não trouxe qualquer melhoria. |MP|
 
rodrigo
rodrigo - 21 de Junho às 10:13
Alguém deveria analisar melhor os sentidos dos viadutos da Montese e Monte Castelo, entre os bairros Santa Branca e Itapoã passando sobre a Pedro I. Até a posição dos viadutos indica que está errado. Inclusive a "gambiarra" feita na entrada do viaduto pela Montese é ridícula. Nem sei como chamar aquilo, "ilha", "canteiro central". O mais lógico ali seria a mudança no sentido, a menos que alguém da BHtrans tenha alguma justificativa milagrosa para tal absurdo.
 
FERNANDO
FERNANDO - 21 de Junho às 08:17
Desconfio que exista um departamento secreto nessa BHTranstorno onde as reuniões, semanais, começam com a seguinte pergunta: "O que faremos para infernizar a vida das pessoas em Belo Horizonte?" Quem já teve a oportunidade de conhecer grandes cidades pelo mundo afora sabe que o trânsito nelas funciona, e bem, há décadas, sem modificações. Ao contrário daqui, onde as mudanças são, quase sempre, pontuais e de pouca eficácia. Aliás, cabe perguntar: BHTranstorno, quando será implantado o tal "sistema inteligente", automatizado nos semáforos da cidade? Fizeram um grande alarde há algum tempo, e...
 
JOAO
JOAO - 21 de Junho às 09:13
Engano seu, meu caro. Vá a Nova York e veja as mudanças profundas que aconteceram por lá, pra ficar em apenas um exemplo. Procure se informar primeiro. Trânsito é bem mais complexo e não é apenas do ponto de vista de quem está entre o banco e o volante.