SIGA O EM

Temporal

Prefeito Alexandre Kalil diz que BH "não estava preparada" para tempestade

Acompanhado do chefe da Coordenadoria Municipal de Defesa Civil, Alexandre Lucas, o prefeito Alexandre Kalil vistoriou os estragos provocados pela enchente na Avenida Tereza Cristina

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1110953, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Jair Amaral/EM/D.A Press', 'link': '', 'legenda': 'Prefeito Alexandre Kalil e chefe da defesa civil, Coronel Alexandre Lucas vistoriam estragos na regi\xe3o Oeste', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2017/03/19/855495/20170319112128908814o.jpg', 'alinhamento': 'left', 'descricao': ''}]

postado em 19/03/2017 11:12 / atualizado em 19/03/2017 12:15

Junia Oliveira / , Mateus Parreiras

Jair Amaral/EM/D.A Press

O prefeito Alexandre kalil admitiu em entrevista na Avenida Tereza Cristina, no Bairro Vista Alegre, na Região Oeste de BH, que a capital mineira não estava preparada para a concentração de chuvas - 90 milímetros em 2 horas - que provocou enchentes nessa madrugada e arrasou residências e estruturas públicas. "É um problema natural e a cidade não se preparou para esse tipo de coisa. Mas não é justificativa, temos de terminar as obras (contra enchentes), mas dependendo do volume que cai (de chuva) nada segura", disse.

De acordo com Kalil, a Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) foi comunicada e vai entrar com a recomposição das defensas (muretas arrancadas da canalização do Ribeirão Arrudas) e massa asfálitca. Também será feito um levantamento opela Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) das pessoas afetadas e seus prejuízospara para uma resposta humanitária.

"A Comdec se preparou para isso. As pessoas perderam colchões, mantimentos e cobertores, eletrodomésticos. O grande problema foi a paralisação das obras de R$1,6 bilhão de sanemaneto do Córrego do Ferrugem (Contagem) e da Bacia do Calafate (inclui a Avenida Francisco Sá)", afirma o prefeito. O volume de chuvas que caiu no local não ocorre há 10 anos.

Ainda segundo o prefeito Alexandre Kalil, essa é uma questão que exige longa preparação. "Não vamos resolver de hoje para amanhã, mas o que puder ser feito faremos. A PBH está deficitária em R$ 400 milhões, está enxuta, mas tem uma estrutura robusta para a ajuda humanitária e para a limpeza e conserto.

 

Kalil anunciou também a formação de uma força-tarefa reunindo a Comdec, o gabinete de governo Sudecap e a Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) para enfrentar esses prejuízos e proceder com a ajufa humanitária.

 

 

 

 

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Bruno
Bruno - 20de Março às 13:08
Isso ai Kalil. Preparo. Essa é a palavra. BH não está preparada para a chuva, voce não estava preparado para ser prefeito, povo não está preparado para votar e por ai vai. A unica coisa que estamos preparados é pagar imposto para bancar essa teta desgraçada que é a polícia nesse país. Medíocre.
 
alvaro
alvaro - 20de Março às 10:16
Nada consegue conter este tipo de chuva, forte aos extremos....
 
Adalberto
Adalberto - 20de Março às 09:41
A campanha para governador em 2018 já começou e Kalil está dando uma força danada ao Marcio Lacerda, pois até agora só criticou a gestão anterior. Como não fará nada nos próximos meses, apenas continuará a criticar, o povo não esquecerá o Marcio Lacerda. Kalil vamos trabalhar e parar de criticar, se a gestão anterior foi ruim, voce tem 4 anos pra mudar e não criticar, vai trabalhar.
 
Fernando
Fernando - 19de Março às 17:24
Tem razão. Chuva é uma coisa muito atípica. Que cidade está preparada para algo tão raro e tão destruidor como chuva? E quem poderia imaginar que iria chover forte em BH?
 
MUDA
MUDA - 19de Março às 15:23
Infelizmente nada no Brasil, mas nada mesmo, tem uma eficiência, tudo tem o carimbo da corrupção , deixando a deus dará quem precisa de dos serviços de obrigação deste nosso desgoverno e políticos corruptos no qual o interesse e somente próprio e dedicado as novas eleições.
 
Denilson
Denilson - 19de Março às 12:42
Obras contra enchentes, metrô, anel rodoviário, segurança... tem diversos assuntos necessários mas o sr. prefeito prefere ir à Brasília para discutir aeroporto da Pampulha. Já começa a mostrar a falta de bom senso para priorizar o que é realmente necessário para a cidade.