SIGA O EM

Duas quadrilhas de roubo a caixas eletrônicos são presas esta semana em MG

Ao todo, foram detidas 42 pessoas nas duas operações. Na segunda operação, 23 foram presos suspeitos de roubo no Aeroporto de Uberlândia e seis fuzis, carregadores e grande quantidade de munição foram apreendidos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 01/12/2016 15:00 / atualizado em 01/12/2016 21:12

Estado de Minas

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) desarticulou duas quadrilha especializadas em explosão de caixas eletrônicos em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, em menos de uma semana. A última operação, denominada "Falange", resultou na prisão de 23 pessoas e na apreensão de seis fuzis, carregadores e grande quantidade de munição. Ao todo, nas duas ações, foram presas 42 pessoas.

As investigações da "Falange" tiveram início após a explosão de caixas eletrônicos no Aeroporto Tenente Coronel Aviador Cesar Bombonato, em Uberlândia, em janeiro. Na ocasião, nove homens armados com fuzis, em um veículo de passeio, chegaram ao aeroporto por volta das 3h e renderam os vigilantes, funcionários e usuários do local. Os homens inseriram artefatos explosivos em três terminais e explodiram um a um.

No decorrer da ação, um dos encolvidos mandou um dos vigilantes telefonar para a polícia e informar o que estava ocorrendo. Ordenou, ainda, que informasse que eles estavam preparados para qualquer confronto. A Polícia Militar ainda tentou capturar os suspeitos na saída do aeroporto, mas a quadrilha conseguiu escapar. Após algumas horas, o veículo dos criminosos, que era blindado e roubado em São Paulo, foi localizado abandonado. 

Durante as investigações,  verificou-se que os suspeitos eram do estado de São Paulo. Todos foram identificados após diligências ao estado paulista. Segundo a Polícia Civil, o grupo também tem participação em pelo menos 10 ocorrências em SP. Nas apurações, constatou-se que o alvo é sempre o mesmo: bancos e terminais de autoatendimento. A gangue agia fortemente armada e utilizava fuzis de calibres 762 e 756, além de explosivos.  Os crimes praticados pelos integrantes desse grupo criminoso sempre se consumam mesmo com a intervenção da Polícia Militar local, pois as ações são executadas com extrema violência; os autores desferem tiros com armamentos muito superiores aos usados rotineiramente pelas forças policiais”, destacou o delegado Eduardo Fernandes Pérez. O Poder Judiciário das comarcas de Uberlândia (MG) e São Paulo (SP) expediram 19 mandados de prisão e 22 de busca e apreensão.


Após acompanhar os integrantes da quadrilha no estado de São Paulo, a equipe de Uberlândia e os policiais de São Paulo realizaram as prisões em flagrante na madrugada de 18 de novembro, quando o grupo executava um roubo na capital paulista. No dia, os suspeitos se dirigiram em dois veículos SUV’s blindados até um shopping, onde renderam vigilantes, iniciaram a execução de um roubo e explodiriam caixas eletrônicos.

Durante a ação, uma viatura da PM se aproximou ocasionalmente do local e os suspeitos atiraram diversas vezes contra os policiais, sendo que um teve uma perna comprometida pelos disparos e o outro foi atingido no braço.

Ainda sem conseguir prendê-los, a equipe da Polícia Civil localizou uma oficina mecânica onde os infratores se esconderiam após a ação e montou vigilância nas proximidades. Assim que os suspeitos entraram com os veículos, as equipes se deslocaram para lá e cercaram o quarteirão. Quando o cerco foi fechado, iniciou-se um intenso tiroteio com os criminosos, que durou aproximadamente 30 minutos.  A maioria do grupo fugiu para os telhados e, ao perceber os policiais na rua dos fundos manteve a resistência, disparando com fuzis. Até que em determinado momento os bandidos fizeram uma mulher refém e iniciou-se uma longa negociação para a rendição que culminou com a prisão de 16 autores, apreensão de seis fuzis, uma pistola, carregadores, vasta munição, coletes balísticos, granadas e explosivos”, contou Eduardo Pérez.

A Polícia Civil remeteu à Justiça o inquérito que investigava o crime ocorrido no Aeroporto de Uberlândia. Segundo a corporação, 10 integrantes da organização criminosa foram indiciados, sendo que oito deles confessaram o crime. A operação teve continuidade com o cumprimento do mandado de prisão do suspeito que forneceu apoio logístico em Uberlândia e de mais seis mandados de prisão em São Paulo, totalizando 23 presos.


Operação Dinamite

 

Na primeira operação, denominada "Dinamite", policiais estaduais e federais prenderam 19 pessoas também acusadas de formar uma quadrilha especializada em explosão de caixas eletrônicos. O grupo, com sede em Uberlândia, além de atacar em Minas Gerais, cometia roubos em cidades de Goiás.

Os agentes apreenderam com os criminosos 15 armas de fogo, entre escopetas, submetralhadoras e pistolas calibres 9 milímetros e ponto 40, de uso exclusivo das forças de seguranças, além de revólveres. Também foram encontrados com os acusados coletes balísticos, material explosivo e quatro veículos, todos com queixa de roubo.

 

(RB)

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600