SIGA O EM

Operação do metrô volta ao normal após quase 10 horas de lentidão

Devido à queda de uma árvore sobre os trilhos entre as estações Carlos Prates e Lagoinha, na Região Noroeste, os intervalos entre as viagens chegaram a ser de 20 minutos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1073605, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Juliana Sodr\xe9/EM/DA Press', 'link': '', 'legenda': 'Os trens circularam lotados na manh\xe3 desta ter\xe7a-feira', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/09/20/806028/20160920155634139700i.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 20/09/2016 15:51 / atualizado em 20/09/2016 21:20

João Henrique do Vale

Juliana Sodré/EM/DA Press

Passageiros do metrô de Belo Horizonte tiveram que ter paciência para enfrentar trens lotados e lentidão das composições nesta terça-feira. Devido à queda de uma árvore sobre os trilhos entre as estações Carlos Prates e Lagoinha, na Região Noroeste, os intervalos entre as viagens chegaram a ser de 20 minutos desde as 5h15, no início da operação. A operação só voltou ao normal à tarde, quase 10 horas depois do incidente.

De acordo com a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), equipes de manutenção da empresa conseguiram retirar a árvore às 15h08, o que permitiu a normalização da circulação dos trens. Até a retirada da árvore, trens foram acoplados para carregar maior número de passageiros por composição.

A medida não impediu a insatisfação dos usuários. Algumas pessoas utilizaram as redes sociais para reclamar. “Metrô um caos!!! Trinta minutos parado na estação central destino Eldorado!!! Dentro do metrô!!!”, disse um morador. “Bom dia, metro superatrasado por conta de uma árvore que caiu ao lado da estação Carlos Prates!!! #atrasada”, relatou outra usuária do Twitter.

A queda da árvore foi registrada na madrugada desta terça-feira. Uma das causas prováveis é a chuva que atingiu Belo Horizonte. Por causa do bloqueio nos trilhos, os trens tiveram que passar mais devagar entre as estações Central e Carlos Prates. No trecho, foi utilizada a operação chamada de via singela.

RB

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Edson
Edson - 21 de Setembro às 14:38
10 horas depois do incidente??? Só faço uma pergunta: se o metrô fosse privatizado, este prazo absurdo seria tolerado? Respondo: NÃO! Porque no setor privado, eficiência e eficácia são requisitos inegociáveis, e um profissional se mantém no cargo pelo resultado que gera para a empresa e o serviço prestado, diferente do servidor público que se esconde atrás de uma aprovação em prova de concurso público!
 
Jadir
Jadir - 20 de Setembro às 19:23
Metrô em Belo Horizonte. A partir de quando vamos ter esse meio de transporte na nossa querida capital mineira?