SIGA O EM

Vítimas do rompimento da barragem em Mariana protestam em BH

Grupo quer evitar a assinatura de um acordo extrajudicial envolvendo as mineradoras

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1008451, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Euler J\xfanior/EM/DA Press', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/02/26/737989/20160226112444438665a.jpg', 'alinhamento': 'left', 'descricao': ''}]

postado em 26/02/2016 11:23 / atualizado em 26/02/2016 14:57

Cristiane Silva

Euler Júnior/EM/DA Press
Moradores de Mariana e Barra Longa, afetados pelo rompimento da barragem do Fundão em novembro do ano passado, que deixou 17 mortos e dois desparecidos, participam de um protesto em frente à sede da 12ª Vara Federal de Minas Gerais, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, na manhã desta sexta-feira.

O grupo quer pedir ao juiz local que não seja homologado o acordo extrajudicial entre Samarco, Vale, BHP Billiton e os Ministérios Públicos Estadual e Federal. Segundo o Movimento os Atingidos por Barragens (MAB), a assinatura do acordo cria uma fundação inteiramente coordenada pelas mineradoras, extinguindo a Ação Civil Pública da comarca de Ponte Nova, o que para eles resultaria na perda dos canais que garantem o direito dos atingidos.

Dessa forma, as vítimas querem que o acordo federal seja feito com os atingidos da bacia do Rio Doce.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600