SIGA O EM

Blocos agitam noite de sexta-feira de carnaval em Belo Horizonte

Tchanzinho Zona Norte e Sexta Ninguém Sabe levam milhares às ruas e avenidas da capital. Trânsito tem complicações com foliões e ambulantes nas ruas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 998902, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'WhatsApp/Reprodu\xe7\xe3o', 'link': '', 'legenda': 'Foli\xf5es tomam as ruas do Bairro Funcion\xe1rios, na Regi\xe3o Centro-Sul da capital', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/02/05/732007/20160205203701553297a.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 05/02/2016 20:15 / atualizado em 05/02/2016 22:12

Rodrigo Melo


A folia do Carnaval 2016 já toma conta das ruas e avenidas de Belo Horizonte. O que todo mundo sabe - mas nunca é demais repetir - é que a sexta-feira é dia do Sexta Ninguém Sabe. As vias do Bairro Funcionários, na Região Centro-Sul da capital, já estão tomadas por foliões do bloco, que resgata sambas-enredo de todos os tempos e o melhor do rock, só na sexta de Carnaval. Mais cedo, o Bloco Tchanzinho Zona Norte agitou foliões, que prometem acompanhar o grupo até altas horas da noite, terminando na Praça da Estação.

Porém, com a grandeza que o carnaval vai adquirindo em Belo Horizonte, aumenta também a preocupação em alguns pontos da cidade. No cruzamento entre as avenidas Getúlio Vargas e Afonso Pena, duas das mais movimentadas vias da Região Centro-Sul da capital, a iminência de um acidente deixa um alerta para os foliões e, principalmente as autoridades.

Sem fiscalização, o trânsito no cruzamento está parcialmente interditado pela quantidade de gente nas vias. Até às 21h20, nenhum policial militar ou agente da BHTrans fazia a contenção e liberação do fluxo de veículos. Vários carros passam a centímetros de distância do bloco, que já toma pelo menos duas pistas em cada avenida.

"Estamos com o coração na mão", dizem as amigas Paula e Natália. O Bloco Oi de Gato, próximo ao Dalva Botequim Musical, no entrocamento da Rua Ceará com as duas avenidas, leva mais de mil pessoas ao local. Vendedores ambulantes também colocam suas caixas de isopor nas vias.

"Ficamos o ano passado e gostamos muito. Espero que esse ano seja ainda melhor, sem confusão nem maiores problemas", diz a bancária Natália, de 29 anos. "Tem lugares que precisam de mais banheiros químicos e mais segurança", cobra a engenheira química Paula, de 27.

Multidão acompanha Tchanzinho Zona Norte


Ainda no final da tarde desta sexta-feira, mais de 5 mil pessoas acompanharam a concentração do Tchanzinho Zona Norte, no Bairro Dona Clara, na Região Norte. As letras e a irreverência dos sucesso do axé dos anos 90 já começam a 'dar o tom' do Carnaval 2016 e a folia começou quente na Avenida Sebastião de Brito. O grupo relembra os sucessos do axé dos anos 90, tocando os hits de É o Tchan, Companhia do Pagode, Asa de Águia e Chiclete com Banana.

Veja a programação dos blocos nesta sexta-feira de carnaval


Tchanzinho Zona Norte
17h • O bloco sai pelo quarto ano consecutivo descendo até o chão pelas ruas dos bairros Jaraguá e Dona Clara. Com repertório de música baiana da década de 90 a folia da Zona Norte se destaca pela coreografia das dançarinas e a música bem ensaiada. Avenida Sebastião de Brito, 160 - Dona Clara

Cintura Fina
17h • Busca resgatar os primórdios do carnaval da capital. O palco é a mítica Lagoinha e tem como inspiração as jornadas do Leões da Lagoinha, bloco que descia a Rua Itapecerica fazendo a festa dos foliões da então jovem Belo Horizonte.
Praça do Peixe - Bonfim

Sexta Ninguém Sabe
18h • Bloco de BH que resgata sambas-enredo de todos os tempos com pegada rock'n roll - Funcionários

Bloco Oi de Gato
19h • Concentração na Rua Ceará - Funcionários

Bloco Fúnebre
20h • Concentração na Praça da Bandeira. Cortejo desce a Avenida Afonso Pena rumo à Praça da Estação. Praça da Bandeira - Serra

Bloco Tira o Queijo
22h • Concentração na Praça da Estação - Centro

Confira a lista dos blocos gratuitos do carnaval de rua de Belo Horizonte

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600