SIGA O EM

Funcionários da Samarco voltam ao trabalho dois meses depois de tragédia em Mariana

Os empregados retornaram ao serviço nas unidades de Minas Gerais e Espírito Santo. Empresa vai realizar a entrega da última carga de pelotas de minério até sexta-feira

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 11/01/2016 16:15 / atualizado em 11/01/2016 22:25

João Henrique do Vale , Guilherme Paranaiba

Os trabalhadores da Samarco voltaram ao trabalho nesta segunda-feira depois de afastamento de dois meses por causa do rompimento da Barragem do Fundão, em Mariana, Região Central de Minas Gerais. O retorno ocorre dias antes de a empresa esgotar totalmente o estoque de pelotas de minério. A última remessa do material deverá ser levada para a China até sexta-feira.

As atividades na mineradora continuam paradas. Desde a paralisação, os funcionários receberam férias coletivas, que terminaram nesta segunda-feira. Ao todo, 1,2 mil empregados, segundo a assessoria de imprensa da empresa, retornaram à Mina de Germano, em Minas Gerais e à unidade de Ubú, em Anchieta, no Espírito Santo. Outros 1,8 mil continuaram trabalhando em questões ligadas à tragédia.

Assim que chegaram às unidades de Minas e Espírito Santo, os funcionários receberam informações da empresa sobre a tragédia e das medidas que estão sendo tomadas por ela. “Recebemos os empregados com uma conversa com o diretor da Samarco. Ele explicou para eles o que ocorreu e as medidas de reparação que a Samarco está tomando. Além disso, fizemos um minuto de silêncio. Depois disso, cada empregado teve reuniões separadas com os gestores para entender o acordo”, afirma a gerente de remuneração e benefício da mineradora, Roberta Guasti Porto.

Na última semana a empresa propôes ao sindicato Metabase, que representa a categoria, a suspensão do contrato de trabalho por três meses, com manutenção de todos os benefícios do acordo coletivo. Durante esse período, os empregados ficarão afastados de seus postos de trabalho e participarão de cursos de qualificação de mão de obra oferecidos pela empresa.

A mineradora pagará uma ajuda compensatória mensal, que, somada à bolsa de qualificação profissional prevista nessa modalidade de suspensão de contrato, garantirá o salário nominal dos empregados. A proposta será apresentada em assembleia aos trabalhadores, que decidirão se a aprovam. “A proposta tem objetivo de manter os postos de trabalho da Samarco. Ela garante o pagamento do salário líquido dos trabalhadores e mantém todos os benefícios previstos em acordo coletivo. Esperamos que ela seja aprovada pelos funcionários na sexta-feira”, explicou Roberta Porto.

Enquanto não avaliam a proposta, os funcionários da Samarco vão trabalhar no serviço de limpeza e manutenção de máquinas.

Prefeito quer manter funcionários

O prefeito de Mariana, Duarte Júnior, vai se reunir com integrantes da Samarco na tarde desta segunda-feira para se informar sobre o retorno dos trabalhadores. Segundo ele, há propostas para a prorrogação do contrato dos empregados. “A gente quer a prorrogação dos contratos dos trabalhadores e também que a empresa garanta os impostos do município como forma de antecipação de indenização”, afirmou.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600