SIGA O EM

Alunos fazem maquete para entender rompimento da barragem da Samarco

Projeto pedagógico foi feito por alunos do 1° e 2° anos e integra a "Semana da Vida"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 03/12/2015 14:15 / atualizado em 03/12/2015 14:30

Estado de Minas

Estudantes do ensino médio da Escola Estadual “Dom Silvério”, em Mariana, Região Central de Minas Gerais, desenvolveramdo projeto de uma maquete e um simulado com o objetivo de analisar os impactos da tragédia do rompimento da barragem de Fundão, da Samarco, ocorrido no dia 5 de novembro, na comunidade de Bento Rodrigues.

De acordo com a prefeitura de Mariana, o projeto pedagógico foi feito por alunos do 1° e 2° anos e integra a “Semana da Vida”. A iniciativa tem o propósito de levar os estudantes a aplicarem o conhecimento em situações práticas.

A maquete mostrava a comunidade Bento Rodrigues antes e depois da tragédia, não apenas a destruição física, como casas, igreja e objetos pessoais, mas o impacto nos sobreviventes que tiveram suas histórias, costumes, lugares de tradição e lazeres destruídos pela lama. No mural, eles apresentam um varal de cordel com a tragédia traduzida em palavras.

A proposta segundo a coordenadora era simples, sem muita complexidade ou exigências, a escola queria abordar o assunto que estava presente e que atingiu de forma direta ou indireta a vida dos alunos. Tanto professores quanto os alunos tinham interesse em se expressar.

“O projeto foi bem interessante, com ele pudemos montar a maquete mostrar um pouco do que o Bento era antes da barragem se romper e depois, e com isso aprendemos um pouco mais sobre a historia da comunidade, do que ele era antes do desastre” , destacou a aluna Tamyres da Silva Braga, do 1° B.

O projeto é dos professores Décio Gabriel Soares e Neile Ferreira, com apoio da coordenadora Lealce Mendes da Silva, e os alunos do 1° e 2° anos. O tema do projeto foi específico, Barragens: Impactos nas atividades físicas e de lazer no Município de Mariana.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600