SIGA O EM

Operação resgata peixes nas proximidades da Usina Hidrelétrica de Aimorés

Animais estão presos no canal de adução da usina. Área não foi impactada pela lama.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/11/2015 16:31 / atualizado em 28/11/2015 20:22

Estado de Minas

A Samarco informou neste sábado (28) que os animais que estão no canal de adução da represa da Usina Hidrelétrica de Aimorés, em Minas Gerais, serão resgatados em uma ação coordenada pela consultoria Brandt Meio Ambiente. A atividade é conduzida em parceria com os funcionários da Usina e também de moradores da região. Segundo a mineradora, a área não foi impactada pela lama que destruiu o rio Doce.

 

Segundo Humberto Oliveira Barbosa, coordenador da Usina de Aimorés as espécies estão sendo levadas para o rio Manhuaçu, no mesmo município. "A Usina de Aimorés está apoiando o resgate pela Samarco", afirmou Barbosa.


No comunicado a empresa afirma que também está retirando os peixes vivos de áreas onde a lama encontra-se mais diluída. “As espécies são identificadas, avaliados e, aquelas que estão saudáveis, são inseridos em outros rios, onde há incidência das mesmas espécies coletadas”, informa a nota.


De acordo com Sueli Tonini, presidente do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (IEMA) do Espírito Santo, o mesmo trabalho foi feito na região de Colatina, antes da chegada dos rejeitos.

Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press


“Foi um trabalho coordenado pelo Ibama, representantes da academia, de organizações não-governamentais. Fizemos uma retirada para fazer um banco genético para uma futura povoação”, informou Sueli. Segundo ela, ainda não há informações de quando os animais poderão voltar ao habitat. “Eles precisam ser aclimatados e o rio precisa estar limpo de novo”, disse. Os animais estão na unidade de Itapema do Instituto Federal do Espírito Santo.

De acordo com a Samarco recolhimento de peixes sem vida também está sendo executado em toda extensão do Rio Doce e nas praias de Regência e Povoação, em Linhares. Após a identificação e quantificação, os peixes são acondicionados em bombonas, transportados e destinados, no mesmo dia, para aterro sanitário licenciado.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600