SIGA O EM

Para população de Bento Rodrigues, ajuda financeira oferecida pela Samarco é insuficiente

Comissão de moradores recusa proposta da mineradora de pagar o equivalente a um salário mínimo, com acréscimo de 20% por dependente. Grupo sugere R$ 2 mil por família

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/11/2015 16:28 / atualizado em 24/11/2015 16:40

Paulo Henrique Lobato /


Os moradores de Bento Rodrigues, primeiro povoado destruído pelos rejeitos da barragem da Samarco, recusaram o valor do auxílio mensal proposto pela mineradora. A empresa ofereceu um salário mínimo (R$ 788) por família mais um acréscimo de 20% do piso nacional por dependente. Os desalojados, porém, reivindicam R$ 2 mil por família, além de um acréscimo de 20% desse valor por dependente, num total de até quatro pessoas.

A comissão que representa os moradores irá levar a contraproposta a Samarco, às 18h desta terça-feira, numa reunião que ocorrerá no centro de convenções de Mariana. “Queremos, ainda, que a cesta básica seja paga em dinheiro”, adiantou José Nascimento de Jesus, o Zezinho, de 70 anos. Ele é o presidente da Associação dos Moradores de Bento Rodrigues e foi um dos seis eleitos para a comissão que representa os desalojados nas audiências com a mineradora e poder público.

Zezinho, que hoje mora num quarto de hotel, espera que a Samarco atenda as reivindicações dos moradores. “Eu tinha dois pés de mexericas no quintal, onde havia ninhos de canários que eu mesmo coloquei”, recorda o homem.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
WAP
WAP - 24 de Novembro às 17:08
pra fazer doacao para campanhas politicas eles tem dinheiro de monte e nao medem esforcos, ne' !!!