SIGA O EM

Presidente da Samarco pede desculpa a atingidos após 17 dias do rompimento

Ricardo Vescovi reconheceu que o sistema de alerta da empresa não funcionou na hora da catástrofe

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/11/2015 21:52 / atualizado em 23/11/2015 07:34

Valquiria Lopes

Depois de 17 dias do rompimento da Barragem do Fundão, em Mariana, o presidente da Samarco, Ricardo Vescovi, pediu desculpas a todos os atingidos pela tragédia que devastou povoados e encheu de lama o Rio Doce e seus afluentes, até a chegada ao mar, no Espírito Santo.

Em entrevista ao Fantástico, da Rede Globo, ele se desculpou com as pessoas que foram afetadas, os que perderam casas e familiares, ribeirinhos, pescadores, comunidades que têm os rios como fonte de sustento e as população de Minas Gerais e do Espírito Santo, assim como aos funcionários da mineradora.

Vescovi reconheceu ainda que o sistema de alerta da empresa não funcionou na hora da catástrofe, disse que a perda de vidas “não é admissível” e informou que foram instalados dois botões de alerta, na sala de monitoramento de barragens da empresa, para aviso imediato às comunidades e funcionários em caso de acidente com alguma das outras duas barragens do complexo de Mariana (Germano e Santarém).
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Carlos
Carlos - 23 de Novembro às 10:12
Esse senhor Ricardo Vescovi deveria seguramente estar na cadeia pela incompetência e ganância. Onde está o CREA que ainda não caçou seu registro?
 
Marco
Marco - 23 de Novembro às 10:03
É pouco, é muito pouco em face da devastação humana e ambiental causada por essa empresa, bem como por TODOS os políticos , que recebem da Samarco a colaboração "cala-boca", para facilitarem/aprovarem o acesso da mesma aos processos "menos nobres" da atividade. Esses crápulas sim, deveriam ser investigados a fundo e também arcarem com o prejuízo do desastre.
 
Adalberto
Adalberto - 23 de Novembro às 09:02
Se o Brasil fosse um pais serio, esse presidente estava na cadeia e poderia até responder o processo em liberdade, mas ficaria na cadeia por um periodo para sentir o sofrimento alheio. Veja que ele foi incompetente, mau gestor e cumplicide da incapacidade de administrar, no processo que causou perdas de entes, financeiras e ecologicas sem precedentes na história do Brasil. Nós do povo não entendemos a justiça, será que precisa ter dinheiro e poder? Podem tudo?
 
watchtowerbrasil
watchtowerbrasil - 23 de Novembro às 08:20
O silêncio dos governos Estadual e Federal nos levam a crer em "pizza" para o caso. Infelizmente nosso país é ou está assim, sem governo, sem punição exemplar, sem esperança. Talvez essa lama seja um aviso para mostrar ao país como, não só o Vale do Rio Doce, mas todo país está coberto por todas as partes de lama.
 
Sérgio
Sérgio - 23 de Novembro às 06:36
Não assisto a Rede Globo, mas o pedido de desculpa pode ser considerado um maneira de assumir o erro. Infelizmente, vidas foram perdidas. Esperamos que a empresa indenize as famílias e tome iniciativas para diminuir o estrago ambiental. Por fim, quero convidá-los acessar: blogdosletradosdesalienados.blogspot.com Abraço fraterno, Sérgio Lopes
 
Roberto
Roberto - 22 de Novembro às 22:37
Quem sabe este TAPA NA CARA não sirva para que estas mineradoras tenham menos arrogância e mais consciência com ambiente e as pessoas parando de passar por cima de tudo em função da ganância. O sistema de alerta não funcionou porque NÃO EXISTIA !