SIGA O EM

Foz do Rio Doce

Rejeitos da barragem do Fundão chegam ao mar

Os rejeitos da barragem da Samarco chegaram a Vila de Regência, a 120 quilômetros de Vitória, onde fica a Foz do Rio Doce, e já mancham o Oceano Atlântico

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/11/2015 17:10 / atualizado em 21/11/2015 20:54

Paula Carolina /Estado de Minas


A Prefeitura de Linhares (ES) informou na tarde deste sábado, por meio de seu Facebook, que os rejeitos da barragem da Samarco, rompida em 5 de novembro, chegaram à foz do Rio Doce, em Vila de Regência, a 120 quilômetros ao norte de Vitória. O educador ambiental do Projeto Tamar, Carlos Sangalia, confirma que após atingir a foz, que está sendo aberta para facilitar a passagem da lama, os rejeitos, nesta tarde, já chegaram ao mar.

Vila de Regência está situado na área da Reserva Biológica de Comboios, onde está a foz do Rio Doce que é fonte de sustento para famílias, além de nutrir a vida marinha. O local tem praias preservadas e tartarugas marinhas. Neste momento, pescadores e demais moradores da região fazem protesto no local.

Os trabalhos de abertura da boca da barra para a passagem da lama foram intensificados, segundo a Prefeitura de Linhares, conforme decisão do Tribunal de Justiça do Espírito Santo, nessa sexta-feira, que determinou que a Samarco tome todas as medidas necessárias para o escoamento da água do Rio Doce no mar.

De acordo com o TJES, após ouvir especialistas e reunir representantes do Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema) e do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBIO), o juiz Thiago Albani Oliveira, da Vara da Fazenda Pública, Registros Públicos e Meio Ambiente de Linhares, determinou, em decisão conjunta com os órgãos ambientais, que a Samarco adotasse todas as medidas necessárias, informadas pelos institutos, para o escoamento da água do Rio Doce, com materiais provenientes do acidente ambiental em Mariana (MG).
Prefeitura de Linhares/Facebook/Divulgação

De acordo com a decisão, "a Samarco deverá realizar a proteção dos acessos da água do Rio Doce às demais fontes de água (lagoas e afluentes) e áreas sensíveis do estuário, interrompendo a conexão gradualmente e de forma coordenada, de acordo com o avanço da pluma, levando em consideração os pontos que forem identificados pelo Iema e pelo ICMBIO. Além disso, a Samarco deverá promover a abertura imediata dos pontos de vazão naturais do Rio Doce para o mar, em sua foz, e que estejam assoreados, mantendo-os abertos e com razoável vazão até deliberação dos órgãos ambientais".

Prefeitura de Linhares/Facebook/Divulgação

Ainda segundo a Prefeitura de Linhares, cidade também atingida pelo desastre ambiental, graças às obras da barragem do Rio Pequeno, foi possível manter o fornecimento de água. O município faz campanha, inclusive, para ajudar os moradores de Colatina, que enfrentam falta d'água pelo mesmo motivo. Dez 10 caminhões-pipa nessa sexta-feira e outros 30 neste sábado pegaram água no Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Linhares para levar a Colatina. Os caminhões têm capacidade para transportar de 10 mil a 40 mil litros de água.
Prefeitura de Linhares/Facebook/Divulgação

Um trabalho de reforço na barragem do Rio Pequeno também foi realizado durante todo este sábado para que o abastecimento de água da cidade seja mantido. Lonas e sacos de areia foram colocados ao longo da barragem para evitar que a água do Rio Doce se misture com a água do Rio Pequeno, que está abastecendo a cidade. (Com informações  de Mateus Parreiras)
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600