SIGA O EM

Publicado decreto que cria força-tarefa para avaliar efeitos de rompimento de barragem

Grupo composto por representantes do estado e prefeituras de municípios atingidos vai centralizar levantamento de danos e propor medidas restauradoras ao longo da Bacia do Rio Doce

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/11/2015 14:27

Estado de Minas


Foi publicado neste sábado, no diário oficial Minas Gerais, o Decreto nº 46.892, que institui a força-tarefa que vai avaliar os efeitos e desdobramentos do rompimento da barragem da mineradora Samarco, em 5 de novembro, no subdistrito de Bento Rodrigues, em Mariana.

Os trabalhos reunirão representantes do estado e dos municípios afetados. O grupo será coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional de Política Urbana e Gestão Metropolitana (Sedru) do governo estadual.

Compõem ainda o grupo a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, a Advocacia Geral do Estado, a Copasa, o Instituto Mineiro de Gestão de Águas (Igam) e a Cemig. Também farão parte da força-tarefa os prefeitos de Mariana, Governador Valadares, Ipatinga, Rio Doce, Belo Oriente e Tumiritinga. Outros prefeitos de municípios atingidos poderão ser convidados, se necessário.

Competirá ao grupo fazer levantamento de dados, emitir relatórios, apresentar conclusões e propor medidas corretivas e restauradoras acerca dos danos humanos, ambientais e materiais decorrentes do desastre em Mariana. De acordo com o decreto, a força-tarefa tem 60 dias para apresentar o relatório final ao governador Fernando Pimentel.

“A proposta do governador é centralizar as demandas e evitar a fragmentação de iniciativas e ações que poderiam enfraquecer o efeito das medidas”, afirma o secretário Tadeu Martins Leite, da Sedru. Tadeu Martins Leite explica que a comissão vai trabalhar em conjunto com os 35 municípios da bacia na avaliação dos danos, no levantamento das perdas econômicas, sociais e ambientais e agir de maneira coordenada na proposição de ações para a recuperação do Rio Doce. A primeira reunião ocorrerá na próxima semana.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Ricardo
Ricardo - 21 de Novembro às 22:14
Mais de duas semanas após o acontecimento?! Quanta eficiência!!!