SIGA O EM

Prefeito quer que buscas por desaparecidos em Bento Rodrigues continuem

Duarte Júnior pediu em Brasília que desaparecidos continuem a ser procurados, valores de multas sejam revistos e, obrigatoriamente, aplicados nos municípios atingidos por desastres

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 962343, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Jair Amaral/EM/DA Press', 'link': '', 'legenda': 'Duarte J\xfanior quer que o valor das multas em casos de acidentes de grande impacto seja revisto', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2015/11/19/709663/20151119120846136991a.jpg', 'alinhamento': 'left', 'descricao': ''}]

postado em 19/11/2015 11:07 / atualizado em 19/11/2015 13:48

Valquiria Lopes

Jair Amaral/EM/DA Press

O prefeito de Mariana, Duarte Júnior (PPS), fez na quarta-feira, em Brasília, quatro pedidos durante audiência pública de quatro comissões da Câmara dos Deputados. O principal pedido é que as buscas pelos desaparecidos não sejam encerradas. De acordo com o prefeito, familiares estão sofrendo muito sem encontrar o corpo dos parentes. "É importante para o familiar fechar o ciclo, encontrando esse parente", diz Duarte Júnior.

Ele pediu ainda que o valor das multas em casos de acidentes de grande impacto, a exemplo do rompimento da barragem de Fundão, em Bento Rodrigues, seja revisto. O teto de R$ 50 milhões é considerado baixo pelo político, principalmente levando em consideração a magnitude das empresas envolvidas. No ano passado, a Samarco, responsável pela barragem de Fundão, lucrou R$ 2,8 bilhões e a multa aplicada a ela representa apenas 9% do orçamento da receita líquida.

Duarte Júnior também solicitou que, na revisão do código mineral, em discussão no Congresso Nacional, seja criada uma previsão de que o valor das multas seja destinado obrigatoriamente ao município afetado. "Por mais que já tenhamos recebido uma sinalização do Ibama de que a multa de R$ 250 milhões aplicada à Samarco será usada em Mariana e nas demais cidades atingidas, a ideia é que isso já seja obrigatório", completa.

O prefeito se reuniu ainda com a Defensoria Pública da União e pediu que fossem disponibilizados defensores públicos para atuar junto às vítimas do acidente. Ele ouviu do órgão que será criada uma força-tarefa entre a União e o estado para atuar na frente de trabalho e até dia 30 uma equipe de defensores deve chegar a Mariana.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600