SIGA O EM

Equipe do EM mostra flagrantes do desastre que se abateu sobre Minas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/11/2015 06:00 / atualizado em 15/11/2015 08:37

Estado de Minas


Desde as 16h40 de quinta-feira, 5 de novembro, quando foi noticiado o rompimento de barragens da mineradora Samarco em Mariana, o Estado de Minas mobilizou boa parte de sua equipe em busca da cobertura mais detalhada da tragédia humana, social e ambiental que atingiu Minas Gerais. Enquanto vídeos e imagens publicados na cobertura em tempo real pelo em.com.br mostravam a dimensão do desastre, jornalistas do EM eram os primeiros da imprensa mineira a chegar a Bento Rodrigues, acompanhando o desespero dos sobreviventes e o esforço dos bombeiros. O trabalho se concretizou não apenas nas mais de 50 páginas publicadas até hoje pela versão impressa: também ganhou forma no conteúdo exclusivo digital , traduzido em números como os do vídeo sobre a passagem dos rejeitos em Santa Cruz do Escalvado, com mais de 2 milhões de acessos e 32,1 mil compartilhamentos pelas redes sociais. No Facebook, o alcance da fan page do Portal Uai atingiu 13 milhões de pessoas e a do EM, 2,4 milhões. Com mais de 100 profissionais envolvidos nas reportagens, o jornal tem mantido equipes na região de Mariana, além de acompanhar a situação nas demais cidades afetadas pelo maior desastre do tipo da história de Minas. Veja os principais destaques:

Participam da cobertura da tragédia em minas os seguintes profissionais: 

Abner Barbosa, Adriana Santos, Alessandra Alves Teixeira, Alessandra Mello, Alexandre Perez, Alexandre Guzanshe, Álvaro Duarte, Álvaro Fraga, Ana Clara Brant, André Garcia, Ângela Faria, Antonio Vargas Jr., Benny Cohen, Carlos Altman, Carlos Augusto, Carlos Marcelo Carvalho, Carolina Mansur, Cecília Emiliana, Clarisse Souza, Cristiane Silva, Daniel Camargos, Edésio Ferreira, Eduardo Murta, Elaine Pereira, Ellen Cristie, Euler Júnior, Flávia Ayer, Francelle Marzano, Fred Bottrel, Gladyston Rodrigues, Glauro Menezes, Guilherme Paranaiba, Gustavo Perucci, Gustavo Werneck, Hudson Franco, João Henrique do Vale, Jair Amaral, Janaína Vasconcelos, Janey Costa, Jociane Morais, Jorge Gontijo, Juarez Rodrigues, Juliana Cipriani, Juliana Sodré, Júlio Moreira, Iracema Amaral, Isabella Souto, Ivan Drummond, Landercy Hemerson, Leandro Couri, Lélis, Liliane Corrêa, Ludymilla Sá, Lucas Rage, Luiz Fernando Mota, Luiz Othávio Gimenez, Luiz Ribeiro, Marcelo Ernesto, Marcelo da Fonseca, Marcelo Faria, Marcelo Monteiro, Márcia Maria Cruz, Marcos Vieira, Marina rigueira, Marlos Vidal, Maria Irenilda, Mariana Peixoto, Marinella Castro, Marta Vieira, Mateus Parreiras, Ney Soares Filho, Paula Carolina, Paulo Filgueiras, Paulo Henrique Lobato, Paulinho Miranda, Paulo Nogueira, Pedro Ferreira, Pedro Galvão, Pedro Rocha Franco, Quinho, Rachel Botelho, Rafael Alves, Rafael Passos, Renan Damasceno, Renata Neves, Renato Scapolatempore, Rodrigo Clemente, Rodrigo Melo, Roney Garcia, Sandra Kiefer, Sidney Lopes, Silvana Arantes, Son Salvador, Soraia Piva, Tetê Monteiro, Thiago Lemos, Thiago Ventura, Túlio Santos, Valf, Valquiria Lopes.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Marcio
Marcio - 15 de Novembro às 14:49
Carnaval está chegando, e daqui uns dias a maioria nem vai estar lembrando, cobrando soluções e punições. Somente os que fora atingidos diretamente, isto é brasil, infelizmente aqui funciona assim!!!
 
Alexandre
Alexandre - 15 de Novembro às 09:55
o Brasil se tornou um País triste. Deveriamos aprender com a França. La teve inclusive 1 minuto de silêncio pelas vítimas, aqui a presidenta não sabe nem o nome da empresa "Sao Marcos"
 
Silvanio
Silvanio - 15 de Novembro às 13:09
Concordo em grau, número e gênero. Isto a que o nobre colega leitor se refere tem o nome de Patriotismo, Devoção a Pátria e pelos compatriotas. Entretanto, o dia-a-dia e as falcatruas daqueles que elegemos para nos governar tem nos guiado para outros caminhos. Lamentável.