SIGA O EM

Ministério Púlbico cobra agilidade na identificação das vítimas

Moradores de pessoas desaparecidas pedem mais transparência da Polícia Civil em relação ao encontro de corpos e à identificação

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/11/2015 18:28 / atualizado em 13/11/2015 19:44

João Henrique do Vale - enviado especial /

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) está preocupado com o resgate de corpos e a identificação das vítimas.

Familiares dos desaparecidos fizeram reclamações informais pedindo agilidade no reconhecimento. Além disso, denunciaram o encontro de um cadáver que só foi retirado no dia seguinte. O promotor Guilherme de Sá Meneghim já pediu que a Polícia Civil preste informações sobre a situação.

Moradores de pessoas desaparecidas cobram mais transparência da Polícia Civil em relação ao encontro de corpos e à identificação. O promotor informou que não foi procurado formalmente. "Recebi uma denúncia informalmente de que foi encontrado um corpo, ele não foi comunicado e deixaram da noite para o dia esperando chegar um perito. Não posso garantir se isso é verdade ou não, mas já requisitei informações e investigacão por parte da Polícia Civil para saber o que está acontecendo. Porque de fato é um desrespeito às vitimas", afirmou o promotor.

Meneghim informou que deve fazer uma recomendação em relação ao encontro dos desaparecidos. "Vamos recomendar que a Polícia Civil, o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil que assim que encontrarem um cadáver, façam o imediato recolhimento para um local seguro e todo o procedimento necessário para liberação, além da comunicação das famílias", disse.

Durante a coletiva, o promotor acabou abordado por uma mulher parente de um desaparecido. "Como conversei com o delegado da Polícia Civil e ele disse que o DNA vai ser feito de qualquer forma para que as famílias não tenham problemas ao enterrar o corpo, então não seria mais fácil já fazer os exames e deixar em um banco? Porque estamos aqui esperando já tem mais de uma semana e eles nada fazem", disse uma moradora que não se identificou. Ela estava na Uaitec à procura de um familiar que está desaparecido. O promotor informou que vai levar a sugestão à polícia.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600