SIGA O EM

Palco da tragédia, Mariana registra pancadas de chuva na tarde desta sexta-feira

Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) investiga a tragédia do rompimento das barragens. Inquérito deve ser concluído em 30 dias

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/11/2015 15:34 / atualizado em 13/11/2015 15:43

Estado de Minas

A cidade de Mariana, Região Central de Minas gerais, palco da tragédia registrada na semana passada, registra chuva na tarde desta sexta-feira. De acordo com o Insituto Tempo Clima Puc Minas, por conta do tempo instável, existe a possibilidade de que as chuvas ganhem intensidade nas próximas horas. Também chove no Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba, Oeste e Sul de Minas.

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) investiga a tragédia do rompimento das barragens em Mariana deve ser concluído em 30 dias. Mas o promotor Carlos Eduardo Ferreira Pinto, Coordenador da Promotoria do Meio Ambiente, considera que a empresa Samarco, responsável pelo desastre, tenha sido 'negligente'.

Estão sendo apuradas quatro hipóteses: o cumprimento das condicionantes de licenciamento da Samarco, a explosão de uma mina da Vale próximo ao local, o possível abalo sísmico e se as obras de alteamento da barragem causaram o rompimento.

O Governo de Minas Gerais embargou as atividades da Samarco, em Mariana, na Região Central de Minas Gerais. Agora, a empresa não poderá mais processar minério de ferro na barragem de Germano. A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad) confirmou a informação na tarde desta segunda-feira. A empresa só poderá retomar as atividades após a apuração e a adoção de medidas de reparo dos danos decorrentes do rompimento das duas minas na última semana.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600