SIGA O EM

Multa paga pela Samarco seria melhor aproveitada se fosse destinada a moradores atingidos, diz prefeito

O prefeito de Mariana, Duarte Júnior, reivindica que a multa de R$ 250 milhões a ser paga pela Samarco vá para o município e não para os cofres da União como pretende o governo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/11/2015 14:31 / atualizado em 13/11/2015 13:42

Estado de Minas

O prefeito de Mariana, Duarte Júnior, pretende reivindicar para o município os R$ 250 milhões decorrentes da multa aplicada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) à Samarco. O chefe do Executivo municipal se mostrou favorável à punição, entretanto ponderou que o valor deve ir para os cofres da União, o que não é justo com as pessoas afetadas pela tragédia. "Eu percebi que o governo federal vai procurar a sua parte na indenização. O município vai lutar muito pelas famílias afetadas. As pessoas aqui me cobram uma resposta para quem foi que foi drastiacamente afetado", disse.

Duarte Júnior entende que a Samarco dever arcar com as despesas dos estragos, porém ponderou que a empresa deve continuar operando na cidade, uma vez que cerca de 80% dos recursos da cidade são oriundos da mineração.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
José
José - 13 de Novembro às 20:15
Amigos...vcs acham que as mineradoras pagam as multas que lhes são aplicada...paga nada, vai pra justiça e ficam anos empurrando com a barriga, até trocar a administração e ao apagar das luzes perdoam a multa. É assim que funciona, acordem.
 
Guilherme
Guilherme - 13 de Novembro às 18:35
Quanta sede senhor prefeito. Já não basta o que levam durante campanha para liberar os empreendimentos? Como já disseram, multa é uma coisa e indenização é outra e esta será garantida com o valor que já está retido. Seria bom que as reuniões agendadas pela Samarco/Vale com alguns prefeitos fossem abertas ao público.
 
lecio
lecio - 13 de Novembro às 17:31
É meu caro Prefeito... Está mais fácil para a FEAM e o IBAMA receberem suas multas do que esse pobre povo sofrido. Pobre Páis...
 
Gerson
Gerson - 13 de Novembro às 17:26
Essa multa nunca será paga pela mineradora e seus acionistas, pois basta verificar no site do IBAMA quais foram as empresas multadas nos últimos cinco anos que quitaram suas multas, após recursos administrativos e defesas judiciais que se arrolam por mais de 20 anos na justiça. O prefeito de Mariana precisa impetrar uma ação civil publica e solicitar bloqueio das contas bancarias dos acionistas no montante de 300 milhões e desta forma assumir diretamente todas as providencias para reparar os danos causados, ou estará impreterivelmente fadado a esperar para os próximos 20 anos uma luta judicial
 
Patricia
Patricia - 13 de Novembro às 16:28
Somente espero que o dinheiro vá para ações que ajudem o local e as pessoas atingidas, e não para o bolso dos políticos.
 
Jarbas
Jarbas - 13 de Novembro às 16:13
Esse prefeito está puxando para a Samarco. A multa não se confunde com as indenizações, ou seja, além da multa a empresa terá que arcar com as indenizações. Só que o prefeito quer que fique só na multa.
 
Gilberto
Gilberto - 13 de Novembro às 16:04
Primeiro: A anta não pode multar, não é da competência dela, para isso existem órgãos específicos que determinam essa ação após critérios técnicos. Segundo: Vai para o caixa 2 da PeTralhada!
 
mauricio
mauricio - 13 de Novembro às 15:55
Duarte Junior é prefeito de Mariana ou da Samarco? Ele tem que ter a noção que a multa não é "ação indenizatória ", é punitiva. Fora a multa, a Samarco tem que reparar os prejuízos causados as cidades, a população, ao meio ambiente. Ele deveria cobrar da Samarco os prejuízos e não querer transformar multas em indenização.
 
Fernando
Fernando - 13 de Novembro às 15:37
Tem razão o prefeito. A prioridade deve ser o socorro das vítimas cujo número é muito maior do que se tem falado. Além da devastação em Mariana, ao longo dos rios que serviram de conduto para a lama diversas pessoas perderam casas, móveis, pastagens, locais de trabalho e até fontes de água para beber. Multas para cofres da União ou estados podem esperar, mesmo porque a destinação do dinheiro público nem sempre é a mais correta.
 
ronan
ronan - 13 de Novembro às 15:21
Esse governo federal não pode ver falar de dinheiro. Adeus pro "povo"
 
Gle
Gle - 13 de Novembro às 15:08
A questão é Sr. Prefeito: O que vc e o seu amigo Celso Cotta(ex prefeito corrupto) e cia, fizeram com o dinheiro dos royalties do minério nesses anos todo? O que foi feito com o dinheiro que entrou do P3P e P4P? Quem conhece a empresa e, é da região sabe de que estou falando. Agora, me vem vc querer pedir 500 milhões pra ajudar a quebrar com a empresa ainda mais, se pelo ao menos, fosse verdade a causa, mas sabemos que não é. E ai, meus caros jornalistas de plantão, procurem-se informar mais sobre o ex prefeito da cidade, o então cassado Celso Cotta, por onde anda, o que aconteceu com ele...?