SIGA O EM

Bombeiros começam varredura em cursos d'água atingidos por rejeitos de barragens

As equipes que estão em Mariana receberam o reforço de 65 militares que ficarão responsáveis pelas buscas nas calhas dos mananciais

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 959115, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Euler Junior/EM/D.A Press.', 'link': '', 'legenda': 'As buscas s\xe3o realizadas em um trecho de 100 quil\xf4metros ', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2015/11/12/707190/20151112123217243677o.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 12/11/2015 12:20 / atualizado em 12/11/2015 17:25

João Henrique do Vale

Euler Junior/EM/D.A Press.

Uma nova estratégia começou a ser utilizada nas buscas por vítimas do rompimento das duas barragens da Samarco em Mariana, na Região Central de Minas Gerais. O Corpo de Bombeiros recebeu um reforço de 65 militares que, divido em equipes, farão uma varredura nos cursos d'água por onde houve o escoamento da lama de rejeitos. Até às 11h30, seis mortes foram confirmadas, dois corpos aguardam identificação e outras 19 pessoas seguem sendo procuradas.

A varredura será realizada em um trecho de aproximadamente 60 quilômetros, entre a Ponte do Gama, em Mariana, até o distrito de Barreto, em Barra Longa. Serão três equipes que fará a ação às margens do Rio Gualaxo. “Fizemos um sobrevoo na região na quarta-feira para detectar os pontos para a ação. A estratégia será usada porque os locais estão em condições de segurança. Por isso, a nova tática para encontrar desaparecidos, além de animais”, afirma o major Rubem da Cruz, da comunicação do Corpo de Bombeiros.

Uma semana depois da tragédia, as buscas continuam para encontrar os desaparecidos. Ao todo, são 19, sendo 10 funcionários e nove moradores. Já foram confirmadas as mortes de seis pessoas. Outros dois corpos seguem no Instituto Médico Legal (IML) de Belo Horizonte.

Será investigado se um corpo encontrado no Rio Doce, em Ponte Nova, na Região da Zona da Mata, é de mais uma vítima da tragédia. Moradores avistaram o cadáver boiando próximo a uma ponte. Bombeiros fizeram a retirada da água. O corpo será encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) da capital mineira, onde passará por exames de necrópsia.

Mutirão para documentos

Termina nesta sexta-feira, a primeira etapa da força-tarefa criada para a emissão de documentos para as vítimas da tragédia. As equipes seguem percorrendo os hotéis onde estão as pessoas alojadas, para identificar quem perdeu o documento e quem conseguiu salvar algo. A ideia é fazer uma varredura para não lotar o local da emissão de documentos. Quem não tem certidão de nascimento ou casamento é levado ao CAC para registrar o boletim de ocorrência. Depois, o cidadão será acionado para localizar a certidão e emitir a identidade, confeccionada na hora.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600