SIGA O EM

Samarco pode levar até um ano para definir como voltará a operar, dizem fontes do setor

Samarco anuncia licença remunerada para a maioria de seus trabalhadores, e a Secretaria de Meio Ambiente confirma paralisação temporária em Germano

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/11/2015 06:00 / atualizado em 10/11/2015 11:23

Marta Vieira , Ana Clara Brant /

Sem condições de dar continuidade a suas operações em Mariana, o futuro incerto da Samarco é a nova preocupação não só da própria companhia e investidores, mas também para os trabalhadores e a população do município. Com o embargo das atividades da mineradora, que o governo estadual anunciou ontem à tarde, a Samarco amanheceu hoje com 85% de seus empregados em licença remunerada. Nota encaminhada pela empresa ao Estado de Minas confirma a dispensa temporária da expressiva parcela do quadro de pessoal da unidade mineira de Germano e da planta industrial de Ubu, no Espírito Santo, mas não informou o número total.

Relatório da Administração e Demonstrações Financeiras da Samarco de dezembro de 2014 menciona 3 mil empregados diretos e 3,5 mil indiretos. O Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Extração do Ferro e Metais Básicos (Metabase) de Mariana informou ainda ontem ter sido comunicado pela mineradora de que a licença remunerada será válida até dia 30, seguida de férias coletivas até 4 de janeiro de 2016. Trabalhadores das empresas prestadoras de serviços à mineradora, da mesma forma, já estão sofrendo as consequências da suspensão de contratos, segundo o presidente do sindicato Metabase, Ronaldo Bento.

O embargo das atividades da Samarco na mina de Germano, onde houve o rompimento das barragens do Fundão e de Santarém, na quinta-feira, foi determinado em caráter preventivo, segundo o secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Sávio Souza Cruz. “A empresa só poderá retomar as atividades após a apuração e a adoção de medidas de reparo dos danos provocados”, declarou.

No fim de semana, a Samarco havia informado aos investidores que vai suspender as operações na unidade de Ubu, no município capixaba de Anchieta “ao final dos estoques de minério, bem como as operações de embarque”. As atividades da companhia são estruturadas com a unidade mineira de exploração e beneficiamento de minério de ferro, transportado por minerodutos de 400 quilômetros de extensão à planta do Espírito Santo, onde a matéria-prima é transformada em pelotas e embarcada ao exterior em terminal portuário próprio.

SEIS MESES Fontes do setor minero-metalúrgico ouvidas pelo EM, que preferem o anonimato, acreditam que a mineradora precisará de mais de seis meses a um ano para definir como poderá voltar à operação e só terá como retomá-la completamente dentro de três anos, depois de enfrentar um novo processo de licenciamento que tende a ser mais complicado. A preocupação adicional ao atendimento das vítimas da tragédia tanto por parte do sindicato local dos trabalhadores quanto dos empresários do município é com a retomada das operações após esclarecidas as causas do acidente, devido à importância da empresa para a geração de empregos e renda em Mariana e região.

“Está claro que houve erro e falha humana e isso tem de ser reparado, assim como temos de pensar nas vidas, neste primeiro momento. Num segundo plano, contudo, é preciso buscar uma retomada da empresa”, afirmou o presidente do Sindicato Metabase. Entre empregos diretos e indiretos, a mineradora responde pela manutenção de cerca de 10 mil pessoas em Mariana, que tem 55 mil habitantes, pagando salário médio de R$ 4,2 mil. A Samarco ainda emprega profissionais que moram em Ouro Preto, Santa Bárbara, Catas Altas e Barão de Cocais.

RAIO-X

Perfil da mineradora em 2014


  • 25,129 milhões de toneladas de ferro exportadas
  • Exploração mineral em Mariana e usinas em Ubu (ES), três minerodutos ligando as duas unidades com 400 quilômetros de extensão cada um, escritórios comerciais no Brasil e no exterior, uma usina hidrelétrica em Muniz Freire (ES)
  • 3 mil empregados diretos e 3,5 mil contratados nas empresas prestadoras de serviços
  • R$ 7,601 bilhões de faturamento bruto
  • R$ 2,805 bilhões de lucro líquido
Fonte: Relatório da Administração e Demonstrações Financeiras de 31/12/2014
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600