SIGA O EM

Prefeito de Mariana pretende negociar indenizações com maior mineradora do mundo

Duarte Júnior também quer que o governo do estado transfira ao município R$ 10 milhões recebidos da Samarco em indenização anterior, que seriam usados na reconstrução dos locais atingidos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 09/11/2015 20:32 / atualizado em 10/11/2015 12:15

Daniel Camargos / , Rodrigo Melo , Paula Carolina /Estado de Minas

Após receber alta de internação por causa de um quadro de estresse, o prefeito de Mariana, Duarte Júnior (PPS), concedeu entrevista coletiva, no fim da tarde desta segunda-feira. No encontro, o prefeito informou que cerca de 200 alunos dos distritos de Bento Rodrigues, onde as duas barragens romperam, e de Paracatu, voltarão às salas de aula até a semana que vem. Duarte Júnior também revelou que pretende chamar a BHP – a maior mineradora do mundo – e a Vale, proprietárias da Mineradora Samarco, para que as três empresas participem do processo de indenização aos atingidos pela tragédia. O prefeito demonstrou extrema preocupação com o embargo à licença operacional da Samarco e disse que a cidade depende da mineradora.

“Se fechar a mineração, fecha o município de Mariana”, comentou Duarte Júnior, enfatizando que 80% da arrecadação vem dos trabalhos ligados à mineração. O prefeito disse que, com a paralisação da Samarco, a arrecadação cai drasticamente e o município pode não conseguir arcar com os compromissos assumidos. Ele disse ainda que vai enviar um ofício ao governador Fernando Pimentel (PT), solicitando ao estado que destine parte de uma indenização já acertada com a Samarco pelo transporte de minério, no valor de R$ 10 milhões, para a reconstrução da infraestrutura dos locais atingidos.

Quanto às indenizações às famílias atingidas, o prefeito revelou que vai convidar a BHP e a Vale, proprietárias da Samarco, para que as três empresas possam participar do processo de indenização. “Entendemos que todas têm seu papel de responsabilidade nesta tragédia”, disse. “Os únicos que não têm responsabilidade nenhuma são os moradores das comunidades atingidas”, completou.

Duarte Júnior também contou que a prefeitura espera que as cerca de 200 crianças que estudavam em Bento Rodrigues e Paracatu possam voltar às salas de aula na próxima semana. O prefeito disse que a administração municipal quer que os mesmos professores continuem lecionando em Mariana e que os alunos tenham acompanhamento médico e psicológico.

DOAÇÕES
O prefeito agradeceu a todas as pessoas que fizeram doações aos desabrigados pela tragédia e pediu que não fossem criadas novas correntes de doações. Segundo ele, foi grande o número de donativos e ele quer ter certeza de que todos serão encaminhados a quem realmente precisa. Além disso, há o risco inerente a alimentos perecíveis, como leite.

Duarte Júnior pretende também criar uma comissão para receber e encaminhar doações em dinheiro. Segundo ele, o ideal é que haja um representante da arquidiocese e até do judiciário, além do poder Executivo. “Não quero assumir sozinho essa responsabilidade”, disse.

Mais cedo, voluntários reforçaram o fato de já terem sido feitas muitas doações, mas disseram porém que o que as famílias desabrigadas mais precisam é de açúcar, óleo, pó de café e brinquedos para as crianças.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Vinícius
Vinícius - 10 de Novembro às 08:07
Samarco eh uma empresa que atua a muito tempo no estado, com participacao ativa na Lista de Furnas, eh so pesquisar na internet, acharemos bastante referencias do envolvimento da empresa na lista de Furnas.