SIGA O EM

Especialistas apuram relação de tremores com desastre em barragens

As universidades de São Paulo e de Brasília registraram abalos sísmicos próximos ao local do acidente em Bento Rodrigues

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/11/2015 19:10 / atualizado em 10/11/2015 11:35

Luiz Ribeiro

Juarez Rodrigues/EM/D.A.Press

O Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB) informou que foram registrados na região de Mariana e Ouro Preto, na tarde de ontem, três tremores de terra – com intensidades entre 2,2 e 2,6 na Escala Richter. O professor George Sandes, analista do Observatório da UnB, disse que também ocorreram tremores de menor intensidade, totalizando 10 sismos na região. A relação direta com o rompimento das barragens de rejeitos da Mineradora Samarco ainda é apurada.



Conforme os registros da UnB, o primeiro tremor ocorreu às 14h12min, com intensidade de 2.4 graus na Escala Richter. O segundo foi registrado um minuto depois, de 2.6 graus. Às 15:59, aconteceu outro abalo, de 2, 2 graus, sentido em Catas Altas, na mesma região.

Os abalos também foram registrados pelo Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP). O analista do centro sismológico da USP Jackson Calhau informou que a instituição realiza estudo mais detalhado sobre a possível relação entre os tremores de terra e o desastre em Mariana. Está sendo providenciada a elaboração de um relatório sobre o estudo, que deverá ser divulgado no final da tarde de hoje.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600