SIGA O EM

Moradores só foram alertados pela mineradora sobre enxurrada de lama por telefone

O presidente da Samarco, Ricardo Vescosi, afirmou que a população foi informada por ligações telefônicas, mas o número de telefonemas feitos não foi divulgado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/11/2015 16:35 / atualizado em 10/11/2015 11:34

João Henrique do Vale , Márcia Maria Cruz /Estado de Minas


Moradores de Bento Rodrigues, em Mariana, na Região Central de Minas Gerais, reclamam da falta de alertas por parte da Samarco e das autoridades no momento que aconteceu o rompimento das duas barragens que devastaram o município. Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, o presidente da empresa, Ricardo Vescosi, afirmou que não foi feito nenhum alerta sonoro. Segundo ele, os moradores foram avisados por ligações telefônicas, mas o número de telefonemas feitos não foi informado.

O rompimento da primeira barragem ocorreu por volta das 15h e todos os procedimentos do plano de emergência foram realizados, segundo o presidente. “Entramos em contato com as autoridades, conforme o plano. Em seguida, tivemos o rompimento da Santarém (segunda barragem), que é de água e fica após a barragem de Fundão. Esse rompimento da barragem de rejeitos, em seguida, provoca uma onda que se propaga e atinge a comunidade de Bento Rodrigues”, explica.

No momento do acidente, operários de empresas terceirizadas e da Samarco faziam obras no local. O presidente confirmou que 13 trabalhadores seguem desaparecidos. Eles realizavam um serviço para aumentar a capacidade da represa.

Antes do rompimento, técnicos foram até o local para avaliar as condições das barragens. Segundo Germano Silva Lopes, gerente-geral de projetos e coordenador do plano de ações emergenciais da Samarco, a equipe fez os trabalhos por volta das 14h15, mas que não identificaram nenhuma anomalia. O gerente-geral afirmou que não houve falha na avaliação.

A empresa está fazendo o monitoramento de uma terceira barragem, a Germano, que fica próximo as outras estruturas que cederam. De acordo com Vescosi, nenhuma anomalia foi encontrada e ela não corre risco de ceder. A Samarco já encaminhou 70 pessoas para hoteis da região. Elas vão ficar hospedadas por tempo indeterminado e os custos serão pagos pela empresa.



Resgate

Segundo o coronel Luiz Henrique Gualberto Moreira, comandante do Corpo de Bombeiros, 500 pessoas já foram resgatadas até o momento. Um levantamento está sendo feito com as famílias para chegar até o número de pessoas que estão sendo procuradas.

O número de distritos atingidos são Bento Rodrigues, Paracatu, Águas Claras, Ponte do Gama, Barra Longa, Gesteiras e Pedras. Há relatos, segundo os bombeiros, de que pode ainda haver pessoas ilhadas no distrito de Pedras.

Indenização

O prefeito de Mariana, Duarte Eustáquio Júnior, afirmou, nesta tarde, que o município vai receber indenização de R$ 23 milhões da Samarco por causa do transporte de minério de ferro. O total da ação é R$ 33 milhões, porém, os outros R$ 10 milhões vão para o governo do Estado. O prefeito disse que vai solicitar que essa quantia seja usada para investimentos e reposição da cidade.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600