SIGA O EM

Foco das escolas na volta às aulas é campanha de uso consciente da água

Instituições estaduais, municipais e particulares estão mobilizadas para que os alunos sejam agentes propagadores do consumo sustentável do recurso

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/02/2015 08:06 / atualizado em 03/02/2015 08:32

Luana Cruz /

O foco das escolas estaduais, municipais e particulares de Minas Gerais na volta às aulas 2015 é a campanha de uso consciente da água. Em meio à crise hídrica, os educadores querem que os alunos sejam agentes propagadores do consumo sustentável do recurso. Nas instituições da rede estadual, mais de 2 milhões de alunos vão participar de ações e projetos de combate ao desperdício. Na rede municipal de BH, cerca de 190 mil alunos vão conhecer já no primeiro dia o trabalho de sensibilização para o uso racional da água. Nas instituições particulares, na segunda-feira, os estudantes foram apresentados a alguns bons exemplos de consumo.

Nas escolas estaduais, a Secretaria de Estado de Educação (SEE) adota um sistema de controle, o Sisconsumo, composto por dois módulos: Siságua e Sisluz. Por meio desse sistema, cada escola pode monitorar o próprio consumo mensal de água e energia. Também é por esse sistema que a SEE faz o acompanhamento do consumo de todas as escolas e, quando é detectado um aumento anormal, é emitido um alerta para a unidade, com solicitação de justificativa para o aumento. Além das atividades de conscientização e do rigoroso controle de consumo já existentes, a rede estadual de ensino estuda novas medidas de redução do uso da água em consonância com as novas políticas definidas pelo governo de Minas — para que seja atingida a meta de redução de pelo menos 30% no consumo.

Um bom exemplo do uso consciente da água está na Escola Estadual Cônego Luís Vieira da Silva, em Ouro Branco, Região Central de Minas Gerais. A instituição conta com uma horta que oferece uma variedade de hortaliças e legumes e a água usada parar irrigar os vegetais é a da chuva. A escola conta com um sistema de calhas que capta água da chuva e armazena em uma cisterna. A instituição implantou o sistema após ganhar um prêmio de educação ambiental promovido na região.

Na manhã desta terça-feira, a Escola Municipal Herbert José de Souza (Avenida Hum, 320, Bairro Novo Aarão Reis), na Região Norte de BH, terá a aula inaugural do projeto ‘BH Contra o Desperdício’, às 9h30. À noite, às 19h, será realizada a entrega do kit escolar para os estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Escola Municipal Eleonora Pieruccetti (Avenida Bernardo Vasconcelos, 288, Bairro Cachoeirinha), na Região Nordeste de BH, também com o reforço sobre a campanha.

O objetivo é envolver famílias, estudantes, funcionários, professores e gestores na construção da cultura de preservação de água, da redução do consumo, da otimização do uso e do reaproveitamento da água, além de promover conhecimento sobre os ciclos hidrológicos, hidrografia e possíveis doenças adquiridas pela falta e/ou uso da água sem tratamento adequado. Todas as escolas da rede municipal de educação da capital receberão banners e panfletos com temas que fazem referência ao uso da água em situações e regiões diversas. São imagens impactantes para sensibilizar a comunidade escolar e disseminar uma nova cultura de preservação da água. Os professores também receberão orientações e material didático para trabalharem com seus estudantes.

BOM EXEMPLO Os funcionários do Colégio Franciscano Sagrada Família recepcionaram os estudantes e a comunidade local, na segunda-feira, distribuindo copinhos de água com frases de conscientização, além de elaborar uma painel no interior da escola com frases referentes ao uso consciente da água. No mês de fevereiro, o colégio também fará uma campanha de racionamento de água e energia para estimular a conscientização. Serão gravados vídeos e produzidos cartazes que ficarão expostos na escola. Providências imediatas também são colocadas em prática: o colégio já trocou as descargas e estão modificando as torneiras para acabar com o desperdício. A instituição também investirá na ampliação do número de monitores que acompanham o banho da garotada, assim os profissionais terão maior controle do tempo que cada criança gasta embaixo do chuveiro.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600