SIGA O EM

Mercado Central usa água da chuva para ajudar na economia

Centro comercial conta com sistema de captação pluvial desde 2009. Implantação de hidrômetros individuais também ajudou a poupar água

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/01/2015 12:55 / atualizado em 28/01/2015 13:29

Cristiane Silva

Com o estado na iminência de um racionamento de água, o Mercado Central de Belo Horizonte se mostra na contramão do desperdício e já conta com iniciativas para economia dos recursos hídricos em suas atividades diárias.

As mudanças começaram em 2005, após uma reforma nos pisos do estabelecimento em que foram feitas mudanças no sistema de canalização. De acordo com o diretor-superintendente do Mercado, Luiz Carlos Braga, foi instalada uma rede pluvial. A água da chuva que cai no telhado vai para duas caixas com capacidade para 23 mil litros. À noite, ela é bombeada para a parte de baixo e usada na lavagem dos pisos. Segundo ele, a economia na conta de água foi de 36%.

Há quatro anos, a administração do Mercado Central adquiriu duas máquinas para a lavagem do piso, que usam uma quantidade menor de água. Os equipamentos ajudam também na situação de estiagem. Os funcionários chegavam a gastar até 5 mil litros de água para a limpeza dos pisos. Atualmente, as máquinas usam entre 600 e 800 litros de água em até três dias de lavagem.

Outra medida que reduziu o consumo de água foi a instalação de hidrômetros individuais, como explica o engenheiro civil do Mercado, Alberto de Souza Zerlotini. “Colocamos hidrômetros individuais nas lojas e cada uma paga sua conta. Isso faz com que o lojista seja mais cuidadoso, ele paga o que consume realmente”, detalha.

Além da limpeza, a água da chuva também será usada nos banheiros do Mercado Central. Segundo Zerlotini, serão separadas duas colunas de água, uma da Copasa para os lavatórios e chuveiros e outra destinada aos vasos sanitários e mictórios, onde será usada água da chuva.

Ainda segundo o engenheiro, o Mercado Central pretende tomar outras medidas voltadas para a economia de energia elétrica, como a troca das luminárias comuns por lâmpadas de led e implantação de células para transformar a luz solar em energia.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600